Convocação para um Novo Ministério de Adolescentes

Acampamento de Pré-Adolescentes em Maio de 2008

Acampamento com Pré- Adolescentes em Maio de 2008

Ter como propósito servir ao Reino através do Ministério de Adolescentes (garotada de 11 à 17 anos) é um tremendo privilégio, mas é dureza. Não que seja fácil servir ao Reino em outros ministérios, mas se você está a algum tempo trabalhando com essa galera, sabe bem do que eu estou falando.

Se você acompanha meu blog, notou que minhas postagens ficaram bem espaçadas nos últimos tempos e se achou que eu estava desanimada, acertou em cheio. Estava mesmo, mas estou voltando com força total e quero convocar todos vocês que se dedicam a trabalhar com pré-adolescentes e adolescentes a sonhar comigo sobre um novo tempo para esse Ministério no nosso país. Sim, sou uma sonhadora e sei que muitos de vocês que estão lendo esse texto aí do outro lado da tela do computador também são e juntos podemos fazer com que esses sonhos se tornem realidade.

Sabemos que no nosso Brasil, o Ministério de Adolescentes não é considerado um ministério de “primeira classe” ou prioritário, como diriam outros. E isso não é privilégio só do nosso país. Assisti essa semana um documentário na Internet, DIVIDED, que tenta provar a tese que o Ministério de Adolescentes não é bíblico e por isso nem deveria existir! Bem, há coisas boas nesse documentário e ele sozinho renderia um post inteiro, mas a sua idéia geral para mim é inconcebível.

Pequenos Grupos de Adolescentes em Outubro de 2010

Minha experiência pessoal, como já disse, chega a ser desencorajadora. Já ouvi, como um elogio, que era muito qualificada para trabalhar com a garotada de 11 à 17 anos porque tenho Master of Divinity ou M.Div. em Estudos Bíblicos e Pastorais, e por isso deveria me dedicar ao Ensino de adultos. Quando fui dispensada da igreja onde exercia a função de Coordenadora de Ensino da Nova Geração, ouvi da liderança que minha função era luxo ao qual a igreja não podia se dar num momento de crise financeira. Quando minha equipe questionou a liderança sobre o futuro do Ministério, a resposta foi de que, ele poderia ser “tocado” por voluntários da melhor maneira que fosse possível. Ou seja, outros ministérios da igreja precisavam de pessoas qualificadas, mas o Ministério de Adolescentes não. E isso não aconteceu porque era nessa igreja específica. Não quero generalizar, portanto digo que isso aconteceria em 99% das igrejas brasileiras.

Mas chegou um Novo Tempo para os Ministérios Infantis,  Ministérios de Adolescentes e Ministérios de Jovens no nosso país. Esses ministérios precisam de pessoas com um chamado sério, preparadas, com uma base teológica sólida porque tem uma missão seriíssima à cumprir.

Como escrevi em um Editorial do dia 28/02/2010 para a igreja onde trabalhava repito aqui:

“Antes de enviar seus discípulos para curar as pessoas física e espiritualmente Jesus lhes disse que as multidões “estavam aflitas e desamparadas, como ovelhas sem pastor.” (Mt 9:36) Essa descrição de 2 milênios atrás aplica-se perfeitamente às crianças, adolescentes e jovens de hoje. Basta olhar nas nossas escolas, nas faculdades, nos shoppings, nas baladas, nas praias, enfim em todos os lugares que multidões da Nova Geração ocupam. 

 A Bíblia usa muitas e muitas vezes a expressão “de geração em geração”, para deixar bem claro que uma geração é responsável pela geração que vem a seguir em versículos como esse de Juízes 2:10-11:

10 Depois que toda aquela geração foi reunida a seus antepassados, surgiu uma nova geração que não conhecia o SENHOR e o que ele havia feito por Israel.

11 Então os israelitas fizeram o que o SENHOR reprova e prestaram culto aos baalins.

Que triste saber que uma geração inteira se afastou dos caminhos do Senhor porque a geração responsável por ela não cuidou dela como deveria. Mas é ainda mais triste perceber que a geração atual está cometendo os mesmos erros com a Nova Geração. Somos rápidos em apontar o dedo para os erros dos nossos adolescentes e jovens, mas esquecemos das nossas responsabilidades para com eles.

É nosso dever mostrar e ensinar à Nova Geração os valores de Deus que são eternos, não mudam com o tempo, com a moda ou com a sociedade da época. E se nós como igreja não atuarmos firmemente na formação da Nova Geração ensinando os valores de Deus para eles, alguém fará isso em nosso lugar. Será que pretendemos deixar a formação da Nova Geração para a escola, para os amigos, para a TV, para o cinema ou para a Internet?”

Líderes e Pastores de Adolescentes não são recreadores ou pessoas com o dom de entreter essa faixa etária. Eles são servos de Deus, chamados por Ele, que buscam se equipar estudando a Palavra de Deus, a cultura e o comportamento dessa faixa etária para ajudar os pais na tarefa de ensinar a Palavra de Deus aos seus filhos e acompanhar a vida espiritual deles.

Por isso estou convocando vocês, líderes, pastores e voluntários que trabalham com adolescentes; pais de adolescentes e outros cristãos que lêem esse blog e estão envolvidos no trabalho com essa Geração de Pode Mudar o Mundo, a elevar esse Ministério à um patamar mais alto, que esse seja um Ministério prioritário para a igreja de hoje e que seja tão importante quanto os outros ministérios da igreja, cuidado por pessoas capacitadas. 

Se você aceitar essa convocação, deixe um breve comentário aqui, clique no like, repasse esse link para outros líderes, enfim, ajude a criar esse novo tempo. 

Anúncios

16 respostas em “Convocação para um Novo Ministério de Adolescentes

  1. A igreja trata a questão de forma análoga ao que o Estado faz, deixa de investir em escola para os menores e se vê obrigado a gastar em polícia e presídios para os grandes. A coisa é mais ampla que a igreja, é cultura brasileira de não prevenir e depois lutar para remediar quando muitas vezes já é tarde. Mas claro que, em se tratando de questões eternas, a seriedade das implicações de decisões equivocadas tomadas por líderes eclesiásticos é ainda maior. Mas entendo também que haveria certa lógica em priorizar os adultos para que estes tenham instrumentação de guiar bem suas casas e seus filhos, já que o papel de educação moral é da família e não de uma igreja que dispõe de poucos minutos por semana para a formação de um ser humano. O ideal é que ambos os grupos (adultos e jovens) tenham instrução na igreja, mas não que a igreja seja a única responsável por este papel.

  2. Querida Ana, eu pessoalmente sou fruto de um trabalho com adolescentes. Quando me converti, na adolescência (BH), líderes investiram na minha vida. Também como mãe, sou testemunha do trabalho que fez com o Bruno, não só dentro da igreja, mas fora, na sua casa. Qual a sua necessidade hoje, em que podemos colaborar com você? Beijos.Lu

  3. De certa forma concordo com o Toss. Infelizmente, o que ocorre é que os pais estão muito acomodados e desinteressados com tudo o que se refere aos seus filhos. Há uma total falta de compromisso com a orientação espiritual de seus filhos, o que atrapalha muito o Ministério de Adolescentes. Facilitaria muito se os pais se envolvessem em todos os assuntos relativos aos seus filhos e se engajassem em cobrar da Liderança das Igrejas um fortalecimento do trabalho que é feito com essa faixa etária.

    • Realmente, Jailse, precisamos mobilizar os pais também e você e o Regê tem feito todo esforço para isso em nossa igreja, mas os pais precisam cobrar das lideranças das igrejas um esforço extra para esse trabalho. Vamos unir forças para isso.

  4. Parabéns pelo blog!
    Também me convertí na adolescência, e nesta idade tinha tempo para evangelizar os colegas do colégio e me dedicar muito para as obras sociais. dolescentes amam servir, e é preciso com certeza liderança preparada!
    Beijos

  5. Você sempre pode contar comigo. Mesmo a “contra gosto” (brincadeira).
    Estou afastado da igreja há muito tempo.
    Mas carregamos para sempre o que foi nossa vida na infância e adolescência.
    Vivi e cresci na igreja cristã e todos os meus amigos dessa época eram da igreja.
    Só tenho boas recordações.
    Encontros aos domingos, datas comemorativas, acampamentos, viagens, amizades.
    Terei muito prazer em ser útil ao seu projeto.
    Avise-me no que posso colaborar.

    Jin

  6. Ana, vc sabe quão importante vc e o Fernando são para nossa família. O cuidado e reponsabilidade do ensino durante as ministrações de domingo às nossas filhas reforçaram nossos ensinamentos em casa.Estamos com vc, em oração, clamando para que o tempo de despertar chegue para os pais e liderança de nossa igreja mais uma vez. Conte conosco.

    Lu e Daniel Schimenes

    • Obrigada pelo apoio, carinho e incentivo, Lu e Daniel. mas vamos estender essa oração e clamor para as igrejas e pais de todo o nosso país. Meu sonho é de un Novo Tempo para o Ministério com a Nova Geração no Brasil!

  7. Ana Lúcia, com você conheci uma forma inovadora de ensinar os caminhos do Senhor para essa garatoda! Agradeço a Deus por meus filhos terem participado desse momento especial enquanto você ministrava. Por isso, acredito nesse ministério e sei que Deus tem planos para essa geração. Conte comigo sempre. Um beijo!

  8. Oi Ana, admiro sua força e coragem de levantar a cabeça e ir em busca de algo melhor a nova geração. Ou seja a busca pelos valores cristão, familiares entre outros… Ou seja, fazer com que nada se perda.
    Lendo o seu blog, eu fiz uma comparação com um parágrafo:
    “ouvi da liderança que minha função era luxo ao qual a igreja não podia se dar num momento de crise financeira. Quando minha equipe questionou a liderança sobre o futuro do Ministério, a resposta foi de que, ele poderia ser “tocado” por voluntários da melhor maneira que fosse possível. Ou seja, outros ministérios da igreja precisavam de pessoas qualificadas, mas o Ministério de Adolescentes não. E isso não aconteceu porque era nessa igreja específica. Não quero generalizar, portanto digo que isso aconteceria em 99% das igrejas brasileiras”

    Trabalhei 5 anos em uma empresa, no qual nunca havia cobrado um aumento de salário. E certo dia eu fui conversa com a minha chefia sobre a minha posição (feedback) o que ouvi foi a seguinte resposta antes mesmo de falar de salário: Que a fila de despregado do lado de fora era grande e que o meu serviço qualquer um podia fazer. Isso me jogou no chão. Até que fiz como você, levantei a cabeça e tomei a seguinte decisão pedi para sai, e um mês depois estava empregado em outra empresa.
    Até hoje eu fiquei com aquela frase na minha cabeça ” o seu serviço qualquer um faz” .
    Hoje vejo tudo quanto Deus me encorajou e me abençoou, me dando coragem de ir a busca de algo melhor para minha vida.
    O mesmo vejo em sua vida…Hoje você não faz, mas parte desta instituição… Hoje você faz parte do mundo inteiro. A sua visão expandiu e tenho certeza que muita gente esta contigo . Pode contar comigo.

    Abraço,

    Luis Alberto Moreira

  9. Ana,
    Eu e minha esposa estamos trabalhando com adolescentes a 2 anos! Realmente é um ministério que requer bastante trabalho, mas no fim quando vemos os frutos é muito gratificante! Vamos continuar lutando contra a influencia da Midia na vida deles sempre olhando para o alvo que é. Cristo!

    Deus te abençoe

    • Igor, com certeza esse é um ministério que exige muita dedicação e preparo e que infelizmente é pouco valorizado pela igreja brasileira. Mas como você mesmo disse, é muito valorizado pelo Senhor Jesus Cristo e é isso que nos faz seguir em frente. Que Deus abençoe o seu ministério e o da sua esposa. E que juntos nós possamos ver um Novo Tempo para o Ministério de Adolescentes no Brasil.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s