O Que Eles Tem na Cabeça?

o-cerebro-adolescente

“O que eles tem na cabeça?” Essa é a pergunta que pais, líderes e educadores fazem quando se deparam com comportamentos desconcertantes e incompreensíveis dos adolescentes. Lembro-me da adolescência dos meus filhos e dos meus pensamentos na época. Onde foi parar aquela criança tão alegre, bem comportada e carinhosa que morava nessa casa? Quem é esse rebelde e mal humorado que ocupou o seu lugar?

Durante muito tempo essas mudanças da adolescência foram atribuídas somente à ebulição hormonal também característica dessa fase do desenvolvimento humano. Hoje sabemos que as mudanças fisiológicas que ocorrem no cérebro do adolescente são as principais responsáveis por esse novo e intempestivo comportamento deles. São tantas mudanças que eles mesmos não conseguem explicar seus sentimentos e comportamentos. E por total desconhecimento e muito amor por nossos adolescentes acabamos tornando essa fase ainda mais difícil para eles.

Esse livro da Dra. Frances E. Jensen nos ajuda a entender um pouco as inúmeras mudanças que acontecem no cérebro deles. O livro tem alguns capítulos que se aprofundam muito na área da neurociência cerebral e a leitura pode ser um pouco difícil para leigos no assunto. Em contra partida, há capítulos muito práticos sobre o comportamento do adolescente. Com o cérebro atravessando uma grande transformação, os adolescentes estão mais suscetíveis a comportamento de riscos, a vícios, estresse e escolhas que irão impactar negativamente toda a sua vida. E mais do que na infância, eles precisam de limites, do nosso amor, cuidados e aceitação. Mas como podemos agir assim com adolescentes que parecem querer um distanciamento maior dos adultos? Não é tarefa fácil, mas também não é impossível.

Recomendo a leitura do livro para todos aqueles que querem aprender como lidar melhor com essa importante fase do desenvolvimento humano. É incrível perceber que muitas coisas que hoje a neurociência explica estão na Palavra de Deus. Estabelecer limites, ensinar e ter um cuidado maior com os mais jovens são cruciais para o desenvolvimento do adolescente.

Esse post é o primeiro da série “O que eles tem na cabeça?”. Durante as próximas semanas iremos abordar esse assunto nesse blog. Fique ligado e acompanhe! Você pode se inscrever para receber avisos sobre os novos posts clicando no botão laranja no canto superior direito dessa página.

 Ouça, meu filho, a instrução de seu pai e não despreze o ensino de sua mãe. Provérbios 1:8

 

Anúncios

É Carnaval no Brasil…

carnaval-bloco-ritaleena-jal-vieira-divulgacao

Foto: Jal Vieira    www.obaoba.com.br

 

Com um título bem parecido escrevi sobre o Carnaval nesse blog há alguns anos. Todos os anos o Carnaval é muito comemorado no Brasil e sempre chegam as perguntas: “Como falar sobre isso com nossos adolescentes e jovens?” ou “Pular Carnaval é pecado?” E eu sempre me pego pensando que se nossos adolescentes e jovens estivessem expostos aos perigos do Carnaval somente nesse feriado a coisa não seria tão ruim assim.

Antes que seja mal interpretada, explico meu pensamento. Infelizmente vivemos a cultura do Carnaval no Brasil durante os 365 dias do ano. Foi-se o tempo em que o Carnaval era o momento para as pessoas colocarem em prática todos os seus desejos reprimidos durante o ano. Vivemos imersos numa cultura hedonista cujo lema é o importante é ser feliz. Não é preciso esperar pelos dias de folia para fazer o que bem entender. Adolescentes e jovens estão constantemente expostos ao álcool, drogas, sexo fora do casamento e toda sorte de coisas do tipo!

Há também o argumento de que o Carnaval tem uma origem pagã (informação correta), mas muitas das nossas festas também tem origem pagã. Ou há uma base bíblica para celebrar aniversário e Ano Novo? E o que dizer da corrupção que assola o país e é amplamente divulgada em todos os meios de comunicação? Como explicar aos mais novos o termo “suruba seletiva” proferido pelo senador Romero Jucá ao se referir à proposta de referir o foro privilegiado? O famigerado programa BBB está em sua 17ª edição com tudo de ruim e errado que se possa imaginar. No Brasil é Carnaval todo dia…

Então não devemos nos importar com o Carnaval e está tudo bem? Claro que não! O Carnaval de rua voltou nas grandes cidades e adolescentes e jovens estão acompanhando os bloquinhos por aí correndo todos os riscos que o cérebro jovem não consegue prever. Em várias redes sociais bombou o relato da jovem que sofreu abuso e agressão num desses blocos em São Paulo. O Carnaval é uma época em que precisamos estar mais atentos, mas as novas gerações precisam dos nossos cuidados e das nossas atenções o ano todo.

Viver o Evangelho de Jesus Cristo é um desafio para nós e as novas gerações todos os dias.

“Tudo me é permitido”, mas nem tudo convém. “Tudo me é permitido”, mas eu não deixarei que nada domine.
1 Coríntios 6:12