SOMOS PAIS DA GERAÇÃO INTERNET… E AGORA?

Não foi uma escolha nossa, mas a realidade é que somos pais da “geração Internet” e muitas vezes nos deparamos com situações inusitadas.

A Internet é uma poderosa ferramenta de comunicação, pesquisa profissional, educacional e até religiosa. Através da rede temos acesso a materiais importantes e educativos. Não podemos esquecer que até as pregações de nossa e de muitas igrejas no mundo são transmitidas pela Internet. Entretanto ela também tem o seu lado negativo quando mal usada ou usada sem critério ou supervisão. Ela pode ser a porta de acesso para pedófilos, trapaceiros, fanáticos e outros tipos indesejáveis.

Para nós que não crescemos diante de um computador fica mais fácil entender a dimensão da Internet se imaginar que nossos filhos estão apenas a um clique da maior e mais completa biblioteca do mundo, da maior banca de jornal com revistas pornográficas, livros que incentivam a adoração de Satanás, os distúrbios alimentares, e outros que ensinam como conseguir armas e fazer bombas e cometer suicídio. Eles também têm à disposição a maior locadora de vídeos com todo tipo de conteúdo. Mas, o pior é que tudo isso está disponível para pessoas de qualquer idade. E de graça!

Nossa primeira reação pode ser a de jogar todos os computadores fora ou proibir que nossos filhos se aproximem deles. Mas computadores e Internet vieram para ficar, e não podemos privar nossos filhos de viver no tempo deles.

Alguns sociólogos e psicólogos dizem que a Internet é a rua, a praça ou o shopping onde costumávamos encontrar nossos amigos. A Internet é o “point” dessa geração. É pela Internet que eles se conectam com o mundo e com seus amigos para conversar, trocar fotos e fazer confissões. Dados recentes do Ibope dizem que 30% do total dos internautas que acessam a rede de casa no Brasil têm de 2 a 17 anos. Em média, eles ficam 33 horas e 4 minutos por mês na internet. Os adolescentes de 12 a 17 ficam ainda mais: 42 horas por mês em média.

Nossos filhos vivem num mundo virtual do qual não podemos excluí-los. Podemos bloquear o acesso deles nos computadores de nossas casas, mas eles podem ter acesso Internet em outros lugares e hoje até pelo celular. Precisamos sim é conhecer esse mundo para poder instruí-los e equipá-los para viverem no mundo virtual com um pensamento e discernimento cristão.

E o que é mais usado por eles são os sites de relacionamento como Orkut, MySpace, Facebook e MSN. Esses sites oferecem tudo o que eles mais desejam que é blogging, mensagens instantâneas, chatting, fotos, vídeos, músicas e sem precisar pagar nada. Esse quadro publicado na Revista Veja mostra muito bem o alcance da Internet entre eles:

Revista Veja de 06 de Agosto de 2008:

Não quero alarmar vocês, quero apenas chamar a atenção de vocês para esse fato inevitável e ajudá-los a lidar com isso. Por isso gostaria que vocês tentassem responder as perguntas abaixo para saber o que precisam fazer:

  1. Quanto tempo seus filhos ficam online num típico dia de semana?
  2. Seus filhos tem um perfil no Orkut, no MySpace ou no Facebook? Você tem acesso a este perfil?
  3. Você sabe realmente o que eles estão fazendo quando estão online?
  4. Quais são os sites favoritos dos seus filhos?

Se vocês não conseguiram responder algumas dessas perguntas, não percam mais tempo e saiam em busca das respostas. Mas se vocês responderam essas perguntas tenho algumas informações adicionais para vocês:

  • Os sites de relacionamento Orkut, Facebook e Limão NÃO podem ser usados por menores de 18 anos. Para que eles se associem a esses sites eles têm que mentir sobre a idade deles. Se vocês permitem que seus filhos tenham uma página nesses sites, vocês estão permitindo que eles mintam. E vocês sabem que se abrirem essa exceção para mentira estarão abrindo um precedente para outras mentiras na vida deles.
  • O site de relacionamento MySpace é permitido para maiores de 13 anos. Os sites  KiwiBox e Yahoogroups são os únicos que podem ser usados por menores de 13 anos.
  • Seus filhos disponibilizam muitas informações pessoais nesses sites como: data de aniversário, escola onde estudam, lugares que freqüentam, filmes e programas favoritos, músicas que ouvem e até preferências sexuais.
  • Pedófilos e outras pessoas mal intencionadas navegam livremente pela Internet em busca de presas fáceis.
  • Sites pornográficos aparecem em pop-ups e tem nomes parecidos com sites de pesquisa escolar, de esportes, de músicas, de temas de interesse infanto-juvenil.

Mesmo psicólogos não cristãos estão seriamente preocupados com o fenômeno da Internet. Rosely Sayão escreveu “Muitos pais acreditam que os adolescentes podem usar a internet sem supervisão. Engano: eles precisam de tutela – e não apenas do tempo de uso -, já que podem sofrer ou provocar constrangimentos e passar por experiências desastrosas. Aprender a usar bem a internet exige ensinamentos, afinal.”

Nas próximas duas semanas vamos falar sobre esses assuntos com os pré-adolescentes do EPA e esse tema também será abordado no EX em Novembro. Queremos ser parceiros de vocês nessa tarefa de ensinar essa geração a viver como verdadeiros cristãos no mundo da Internet.

Temos algumas dicas práticas de como permitir que seus filhos continuem a usar a Internet de maneira segura:

  • Aprendam a usar a Internet e instruam seus filhos sobre as vantagens e os perigos da rede.
  • Façam uso de filtros que bloqueiem conteúdos impróprios para seus filhos.
  • Estabeleça regras na família sobre o uso da Internet, como horários de uso, sites que podem ser usados e informações que podem ser postadas.
  • Tenham acesso ao computador e acompanhe o perfil de seus filhos.Vocês podem até sugerir a eles que eles lhe dêem a senha deles. Eles não ficarão felizes com essa medida, mas explique-lhes a necessidade disso.
  • Mostrem a seus filhos que nem tudo que está na Internet é verdade. O “Joãozinho” de 12 anos que quer ser amigo deles num site de relacionamento pode ser na verdade um pedófilo ou outro tipo de criminoso que quer se aproximar deles.
  • Usem a Internet juntos, como família aproveitando as boas coisas que a rede nos traz.

Antes de colocar essas medidas em prática, orem para que Deus lhes dê sabedoria para falar com seus filhos e instruí-los sobre como um cristão pode usar a Internet de maneira que honre a Deus.

Ana Lucia Bedicks

Data: 26/11/2009

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s