Teologia e Adolescentes: Como Combinar Essas Duas Palavras

Ao ouvirmos a palavra Teologia, pensamos em algo muito acadêmico, intelectual e distante dos adolescentes e até mesmo daqueles que trabalham com os adolescentes. Isso acontece porque nos esquecemos que Teologia é a reflexão humana sobre quem Deus é e como Deus age no mundo. Portanto, a teologia, seja ela cristã ou não, está em praticamente todos os elementos de nossa cultura e da cultura adolescente. Teologia não é algo para os estudiosos, mas faz parte do nosso dia a dia, mesmo que não tenhamos consciência disso.

E o papel do Ministério de Adolescentes é identificar quais são as nossas convicções como cristãos de quem Deus é e como ele age e mostrar aos adolescentes quais são as implicações práticas disso ou como isso deve se refletir na nossa maneira de viver. Complicou? Então vamos por partes:

1. Identificar as nossas convicções de quem Deus é e como ele age. Como diz Kenda C. Dean no livro Starting Right, essas são as nossas “Rochas Teológicas” sobre as quais construiremos o nosso ministério. Para começar, pense que você tem apenas 5 coisas para ensinar aos adolescentes sobre Deus. Quais seriam essas 5 “Rochas Teológicas”? As minhas “Rochas Teológicas” são:

E quais são as suas  “Rochas Teológicas” ?

2. Mostrar aos adolescentes que implicações isso tem na nossa maneira de viver. Isso significa ajudar os adolescentes a desenvolverem sua fé para se tornarem teólogos práticos, que tem um relacionamento pessoal com Jesus Cristo e à partir disso agem ou vivem como cristãos que querem fazer diferença no mundo.

É verdade que todos os cristãos, incluindo os adolescentes, são chamados para serem teólogos práticos. Os adolescentes precisam entender (embora alguns adultos ainda não tenham entendido) que o cristão não é apenas alguém moralmente bom. O cristão é alguém que vive e age baseado na sua fé sobre quem Deus é, na pessoa do seu Filho Jesus Cristo e o que Ele está fazendo no mundo.

A cultura adolescente está em constante mudança e por isso temos que adaptar a forma ou os métodos que vamos usar para transmitir a eles o que não muda nunca: a Palavra de Deus. E para isso precisamos da nossa base teológica ou das nossas “Rochas Teológicas.”

O Ministério de Adolescentes precisa deixar de ser visto pela Igreja Brasileira como um ministério de entretenimento, que pode ser liderado apenas por jovens bem intencionados, sem formação teológica e ser visto como parte da Igreja que tem o mandato de Deus para ministrar às gerações mais novas.

“Agora que estou velho, de cabelos brancos, não me abandones, ó Deus, para que eu possa falar da tua força aos nossos filhos, e do teu poder às futuras gerações.” Salmos 71:18

Anúncios

E os Adolescentes cairam na Rede…

Os brasileiros e principalmente os adolescentes brasileiros estão entre os que mais passam tempo conectados à Internet, ligados na rede, principalmente nas redes sociais. E se observarmos com cuidado, perceberemos que a maior parte deles dissocia o seu comportamento no mundo real do seu comportamento no mundo virtual. A universidade de Michigan fez um estudo com crianças de 12 anos que mostrou que elas classificam certas ações como certa ou erradas no mundo virtual e fazem uma classificação diferente no mundo real. Um bom exemplo disso é o que acontece com o que muitos deles contam sobre eles mesmos nos seus perfis das redes sociais. Dizer que você é alguém totalmente diferente de quem é na realidade não é considerado mentira. Mas a maioria deles não teria esse mesmo comportamento no mundo real, onde consideram isso mentir ou enganar. E o que dizer de frases e colocações de gosto no mínimo duvidoso, palavrões e outras coisas que eles não diriam no mundo real, mas que não veem problema nenhum em postar no mundo virtual. Armadilhas da rede que eles não conseguem perceber. Isso não é privilégio deles e vale para muitos adultos também. Para os que gostam de dados, aqui vão alguns dados interessantes e preocupantes para vocês:

Edição 2011 do estudo Kids Experts

  • as principais atividades na web para teens são : socialização, ferramentas de comunicação, música.
  • 95% dos adolescentes participam de alguma rede social no Brasil (Facebook, Twitter e Orkut)

Estudo da Safernet no Brasil em 2010envolveu mais de duas mil crianças e adolescentes, de 10 a 17 anos. e apontou que 38% delas têm um amigo que passou por cyberbullying.  

Academia Chinesa de Ciênciaso uso excessivo da internet pode causar graves danos cerebrais em adolescentes, comparáveis aos produzidos pelo consumo de cocaína e álcool.

A Internet hoje é uma ferramenta muito poderosa, que faz parte do dia a dia de todos nós e da vida de nossos adolescentes, mas infelizmente ela esconde muitos perigos, como os que citamos acima.  E hoje em dia um grande perigo da Internet é a Pedofilia. Antes, para que um adulto atacasse sexualmente um menor de idade, era preciso que esse menor estivesse exposto à situações de risco como ficar até tarde na rua, em lugares perigosos, sozinho, longe de qualquer adulto. Hoje o pedófilo tem acesso a qualquer um, em qualquer horário e dentro de nossas casas pela Internet.

Com essa dissociação entre o mundo virtual e o real, parece que a velha regra do mundo real de “Não Fala com Estranhos” não tem valor algum no mundo virtual, como mostra essa pesquisa do Grupo de Combate aos Crimes de divulgação de Pornografia Infanto-juvenil e Racismo na Internet, no Rio de Janeiro,  que revelou que é cada vez mais frequente o número de adolescentes que se encontra com estranhos que conheceram na Internet. E se você ainda não está convencido do perigo da Pedofilia na Internet, leia na íntegra, essa pesquisa da Revista Capricho, que revela entre outros dados assustadores, que 90% das leitoras (de um total de 3500) já conversaram com alguém na Internet que pediu para elas tirarem a roupa em frente à webcam.

Entretanto a Internet está aí para ficar e precisamos ajudar nossos adolescentes a usar essa ferramenta da melhor forma possível porque como disse Paulo: “Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus.” 1 Coríntios 10:31

Há um filme recente que vocês podem assistir com eles ou recomendar que eles assistam com seus pais e que é um triste, mas verdadeiro alerta para o perigo da Pedofilia. No filme Confiar (Trust), uma família passa por problemas depois que a filha de 14 anos conhece seu primeiro namorado pela internet. Annie uma jovem de 14 anos conhece um garoto em um bate-papo na internet, e logo se apaixona por ele. O problema é que, na verdade, o garoto é um homem muito mais velho, que a atrai para um encontro e se aproveita sexualmente dela. Veja o trailer aqui:

Relembre-os que quando eles se envolvem em conversas, atividades ou relacionamentos pela Internet com um conteúdo sexual eles  já estão pecando porque o nosso principal órgão sexual é o nosso cérebro. 

Eles precisam entender que:

A Internet é um espaço público como outro qualquer e não tem sentido fazer online o que não se faria na vida real.


“Jogos Vorazes” é a nova onda teen. E o que você sabe sobre isso?

Hoje tudo muda com tanta rapidez, que há até uma rádio brasileira que tem como frase tema “em 20 minutos tudo pode mudar”. Mas o mundo dos adolescentes e jovens muda ainda mais rápido com a chegada de novas ondas que se espalham em velocidade digital influenciam a cultura deles. E nós que temos que manter uma comunicação constante com eles precisamos estar atentos à todas essas ondas que se formam.

Então eu pergunto: o que você sabe sobre “Jogos Vorazes”, além dele ser o primeiro livro/filme da mais nova trilogia destinada ao público adolescente e jovem? Segundo a Revista Veja, os livros já estão entre os mais vendidos no Brasil e o filme entre os mais assistidos. O elenco do filme foi capa de diversas revistas destinadas ao público adolescentes, entre elas a Revista Capricho.

Se você ainda não assitiu o filme, assista e você vai se surpreender. “Jogos Vorazes” não é apenas um filme violento de adolescentes matando adolescentes, como estão dizendo por aí, embora isso de fato aconteça. Eu assisti o filme pouco dias após a estréia e confesso que não tirei os olhos da tela. Tudo se passa nas ruínas de um lugar antes conhecido como América do Norte, está a nação de Panem, uma exuberante Capital rodeada de outros doze distritos. A Capital é dura e cruel, e mantém os distritos obedientes forçando-os a mandar um garoto e uma garota entre doze e dezoito anos para participar de seus Jogos Vorazes anuais, uma luta até a morte exibida na TV.

Katniss Everdeen , de dezesseis anos, vive sozinha com sua mãe e sua irmã mais nova, e vê os Jogos como sua sentença de morte quando ela se oferece para ir no lugar de sua irmã. Mas Katniss já estivera perto da morte antes – e sobreviver, para ela, é instintivo. Sem querer, ela se torna uma das favoritas a vencer. Mas se ela quiser ganhar, terá de fazer escolhas que colocam sobrevivência contra humanidade e vida contra amor.

Esse resumo e outros fatos importantes sobre Jogos Vorazes você encontra no site Jogos Vorazes BR . Mas enquanto você não vai ao cinema, assista aqui o trailer oficial do filme:

Poderíamos escrever muitas páginas sobre o filme, mas vamos resumir alguns pontos que considero importante e que podem ser interessantes para discussão com os adolescentes:

  • O filme critica a grande diferença entre classe sociais, a discriminação, a miséria, a fome e o governo totalitário. Isso fica bem claro, principalmente quando vemos as condições em que as pessoas vivem nos distritos 12, de Katniss e Peeta e 11 de Rue em comparação com a Capital e o distrito 1.
  • Como os Jogos são uma espécie de Reality Show, Suzanne Collins nos mostra que os realities são manipulados para cativar a audiência, como no caso (não leia se você ainda não assistiu o filme) do romance forjado entre Katniss e Peeta ou até da mudança de regras do jogo na última hora.
  • Katniss representa tudo o que os adolescentes querem ser. Ela também tem a idade deles, é forte, poderosa, cheia de esperança, idealista e desafiadora. Ela está em busca de relacionamentos e amor e quer acabar com a opressão e a injustiça. É isso que faz com que os adolescentes se identifiquem tanto com ela, como diz Walt Mueller.
  • Embora o filme não seja apenas um filme de adolescentes matando adolescentes, o fato de os adolescentes terem que matar num jogo é muito violento, pelo menos do meu ponto de vista. Entretanto todos os jovens e adolescentes com quem conversei não encontraram problema nenhum nisso. O que nos leva a pensar: Será que os nossos adolescentes e jovens estão passando ou já passaram por um processo de dessensibilização à violência?
  • E finalmente, o filme conta uma estória de esperança e redenção que atrai os adolescentes. Isso nos lembra que a história de Deus conosco também é uma história de esperança e redenção que pode atrair nossos adolescentes. Por isso é muito importante a maneira como vamos apresentar essa incrível história a eles. Mas eles precisam, procuram por uma história assim, que lhes dê esperança e sentido às suas vidas.

Termino esse post dizendo a vocês que não vejo a hora de ler a trilogia. Comprei os livros que foram imediatamente confiscados pela minha filha de 25 anos que está devorando o primeiro livro da série. Mas sou a próxima da fila.

Se você tem algum comentário sobre o filme, ou gostou desse post, deixe sua opinião aqui.

O Que Aprendemos com Paulo e com a Revista Veja

As edições da semana passada das revistas Veja e Veja São Paulo nos dão uma boa ajuda para colocar em prática o que aprendemos com o apóstolo Paulo em Atos 17. Confesso que esse sempre foi um dos meus capítulos preferidos do livro de Atos e quando tive a oportunidade de visitar o Areópago, em 2009, fiquei imaginando a cena descrita em Atos 17: 19-34 quando Paulo fala aos atenienses sobre o DEUS DESCONHECIDO para apresentar-lhes o Evangelho. Paulo conhecia muito bem as Escrituras, pois havia estudado com Gamaliel, o mais famoso rabino do primeiro século e conhecia as Boas Novas do Evangelho de Jesus Cristo como poucos. Ele não só conhecia, mas vivia a Palavra de Deus no seu dia a dia e isso lhe dava autoridade para pode falar.

Mas Paulo também conhecia as pessoas para quem ia falar. Se voltarmos um pouco no texto veremos que “Enquanto esperava por eles em Atenas, Paulo ficou profundamente indignado ao ver que a cidade estava cheia de ídolos. Atos 17:16. E na sua fala ele cita o que alguns poetas gregos escreviam. Paulo conhecia a cultura daquele povo, como pensavam, o que eles liam, no que criam e ouviam.

Paulo nos ensina que para falarmos do Evangelho precisamos nos aprofundar :

  • Na Bíblia
  • Na cultura do povo para quem falamos.

E é nesse último item que a Revista Veja nos deu uma enorme ajuda. Em seu livro Engaging The Soul of Youth Culture: Bridging Teen Worldviews To Christian Truth, o Dr. Walt Mueller diz que a cultura jovem é um caldo no qual nossos adolescentes e jovens estão mergulhados constantemente, mas que os ingredientes desse caldo mudam numa velocidade cada vez maior. Por isso se queremos nos comunicar com eles, precisamos freqüentemente “abrir a tampa da panela” para saber o que esse caldo contem. E na última semana, a Veja destampou a panela para nós.

Na sua reportagem de capa, ela fala do Facebook e da força que essa ferramenta de mídia tem, principalmente entre os mais jovens. Ela até dá um manual básico para quem não entende nada de FB. Se você ainda não se deu conta, é na Internet que boa parte da “vida” dos nossos adolescentes acontece e precisamos saber como eles “vivem” ali. Alguns deles até curtem o Twitter, mas com certeza, o Facebook e o Youtube estão entre os seus preferidos. Talvez você também viva nesse mundo da Internet e seja fácil para você interagir nesse meio, mas você ser alguém como eu que já está na faixa dos “enta”, tudo fica um pouco mais difícil e para alguns até chato. A verdade é que você não tem escolha: você vai ter que conhecer o que se passa nesse mundo, assistir os vídeos que já tiveram milhões de acessos e saber quem é a Luiza, mesmo que ela já tenha voltado do Canadá.

Claro que você não precisa virar fã do Michel Teló, mas tem que saber o que ele canta (sim, eles acham que aquilo é música) e conhecer a coreografia que está se espalhando pelo mundo. E por falar em Michel Teló, discutir a letra e coreografia da música com seus adolescentes pode ser uma boa idéia para começar um papo sobre comportamento e sexualidade. Mas confesso que já tive vontade de “pegar” o Michel para mandar ele parar de cantar tanta bobagem…

E a Revista Veja São Paulo nos presenteou com uma pesquisa feita com estudantes paulistanos de 13 a 18 mostrando o que eles pensam sobre ensino, internet, drogas, bullying e futuro profissional. Infelizmente é raro termos no Brasil um material como esse, por isso ele se torna tão precioso para que possamos conhecer cada vez melhor nossos adolescentes. Pesquisas como essa são de grande ajuda para quem trabalha com adolescentes, por isso, sempre que você se deparar com um material assim, agarre-o. Também faça pesquisas com seus adolescentes, mas cuidado com os exageros. Costumávamos aplicar muitas pesquisas entre nossos pré-adolescente e adolescentes e isso nos ajudava muito. Mas não posso esquecer de uma vez em que numa questão em que eles tinham que listar as três coisa que menos gostavam no ministério de uma lista com itens como: louvor, estudo bíblico, acampamento, pequeno grupo, recepção e outros. Tivemos uma resposta interessante: uma garota assinalou o item “outros” e explicou: responder pesquisas!

De qualquer forma lembre-se que é muito importante conhecer, como Paulo fez, as pessoas para quem você vai falar da Palavra de Deus. A série “Crepúsculo” está longe de ser uma das minhas favoritas e confundo os episódios, mas sacrificialmente assisti a todos os filmes. Não curto a MTV, mas me obrigo a olhar sua grade de programação e ver o que está bombando entre a galera. Abomino o BBB, mas procuro acompanhar o que acontece nessa praga da TV brasileira pela Internet. O mesmo vale para as novelas e séries que essa galera curte.

E é sempre bom lembrar as palavras sábias de Francis Schaeffer, que quando perguntado sobre o que faria se tivesse apenas 1 hora para falar do Evangelho para uma pessoa que acabasse de conhecer, respondeu que passaria os primeiros 55 minutos fazendo perguntas e tentando conhecer essa pessoa, para só depois falar da simples mensagem do Evangelho.

Quero terminar com um conselho. Conheça tudo sobre eles e o que eles vivem, mas não tente se tornar um deles, pois isso será tão falso como uma nota de R$ 15,00 e eles percebem imediatamente. Além de você correr o risco de ficar parecido com algo assim:

E você, já sabe como está o “caldo” dos seus adolescentes? 

Crepúsculo: E Viveram (Morreram?) Felizes para Sempre… Ainda não….

Cena do casamento de Bella e Edward

A última parte da Saga Crepúsculo, não é na realidade a última. Ela é apenas a primeira parte da última parte, o que significa, que teremos pela frente pelo menos a parte 2 do Amanhecer. Isso se os produtores não derem uma esticadinha e fizerem a parte 3… Que confesso, seria para mim “O Martírio”.

O começo do meu comentário já dá uma pequena idéia das minhas impressões sobre o novo filme da Saga. Esse é, na minha opinião, o pior dos três filmes lançados até agora e pode ser resumido em: Bella e Edward se casam, Bella e Edward partem para sua lua de mel e consumam o casamento, Bella engravida, a gravidez coloca a vida de Bella em risco e reascende as desavenças entre os lobisomens e os vampiros, mas reaproxima Bella e Jacob. O bebê de Bella nasce, mas Bella não resiste, Jacob tem um “imprint” com a bebê Renesmee e Carlisle aparece no final para transformar Bella.

A questão do sobrenatural, dos vampiros e lobisomens está presente em todo o filme e mais uma vez exerce grande atração sobre o público adolescente, como aconteceu com os outros filmes. As cenas de luta nesse filme são mais violentas e rápidas o que não deixa de ser uma grande jogada para atrair o público masculino, além é claro da eterna competição entre Jacob e Edward.

Mas o ponto alto de Amanhecer está na tão esperada primeira relação sexual de Edward e Bella e que só acontece depois do casamento. Os adolescentes vão usar isso para nos dizer que o filme traz “valores cristãos”, mas Edward só faz isso porque é um jovem de 117 anos e no seu tempo, as garotas se casavam virgens, e não por uma convicção cristã. Além disso, é impossível não notar o semblante de Bella, durante todo o tempo que antecede o casamento, no casamento e na viagem de lua de mel, antes da primeira noite do casal. Ela mais parece uma condenada à morte em seu caminho para a forca ou para o paredão de fuzilamento.

Bella vê o quarto destruido após a primeira noite de amor do novo casal.

Um dos grandes problemas do filme está justamente na forma em que o sexo é colocado no contexto do casamento. O sexo é a motivação principal para o casamento dos dois e sabemos que apesar de ser muito importante no casamento, sexo não é tudo. Há muito mais numa relação de casal do que o sexo. Mas o filme parece mostrar que a festa, o vestido deslumbrante, a lua de mel paradisíaca e o sexo “do outro mundo” são o que mais  importa. Bella só dá um sorriso quando acorda depois da primeira noite de amor do casal e vê o quarto todo destruído. Ao assistir a cena, pensei no efeito que isso pode ter na cabecinha de nossos adolescentes. Sexo entre marido e mulher tem a ver com amor e carinho e não com performance.

E quando depois de alguns dias Bella descobre que está grávida, ela se surpreende com a reação de Edward que chama o bebê de “essa coisa” e imediatamente prepara a volta deles para casa para que Carlisle dê um jeito de se livrar daquela “coisa”. Esse seria o ponto do filme, que com muita boa vontade, poderíamos iniciar um debate sobre aborto com nossos adolescentes. Os vampiros, Bella e Jacob discutem se aquela nova criatura é realmente um ser vivente, é uma coisa, é um feto ou um bebê. Mas Bella é irredutível e se recusa a se submeter ao aborto, mesmo arriscando a própria vida.

Todd Perage, um americano pastor de adolescentes, sugere uma discussão sobre aborto à partir do filme no site The Source:

Discussão sobre o Filme:

Pergunta: Qual é a maior questão que o filme levanta?
Resposta: É a questão do aborto, principalmente quando eles discutem sobre como chamar o fruto da gestação: se de feto, bebê ou coisa.

P: Como você se sentiu quando Bella e Edward estavam conversando sobre se livrar do bebê? 
R: (Deixe que eles se expressem).

P: Como um cristão sério deve reagir sobre essa questão do aborto? Peça que eles leiam Salmos 139:13-16
R:Explore questões como: o que a passagem fala sobre crianças que ainda não nasceram; as pessoas tem ou não o direito de escolha sobre a vida dessas crianças.

Veja mais informações sobre a série no livro A Sedução do Crepúsculo e no artigo Os Perigos e As Mentiras da Saga Crepúsculo. 

Só nos resta aguardar a Parte 2 e ver o inusitado romance do lobisomem Jacob com a Vampira/humana Renesmee, e o confronto final dos Volturi com os Cullen! Quando parecia que não faltava mais nada, Stephanie Meyer, a autora da série, nos surpreende com coisas cada vez mais nonsense!

Razões Missionárias para Assistir ao VMA

Você que é líder da galera de 11 à 17 anos precisa saber o que aconteceu no VMA ontem e vou explicar porquê. Mas se você nem sabe o que é VMA, o seu caso é grave, mas não é um caso perdido. Claro que não podemos esquecer que você também precisa estar por dentro do que foi o UFC Rio ou MMA nesse último sábado e que dependendo da região onde mora ou dos adolescentes da sua igreja também saber dos shows que rolaram na Festa do Peão em Barretos.

Não, você não está no blog errado. Mas no mundo globalizado, o que aconteceu no Video Music Awards, ontem nos EUA, vai direta ou indiretamente influenciar essa galera para quem nós temos que comunicar o Evangelho. Se você perdeu a transmissão direta e ao vivo, não se preocupe, haverá reprise na MTV Brasil.

Jo Calderone VMA 2011

E se você é como eu, assista com seu computador ao lado para poder pesquisar tudo o que não está entendendo. Quando Lady Gaga apareceu travestida de homem, cantando como um homem e o locutor dizia que ela estava cantando como Jo Calderone, pensei que ela estava imitando um cantor dos anos 60 que eu não conhecia. Mas o Google me informou que Jo Calderone é o alter ego masculino de Lady Gaga que interpreta a canção “You and I”. Por essa eu não esperava mesmo.

Justin Bieber no VMA 2011
Kate Perry no VMA 2011

Você também verá o garoto bonzinho (por enquanto) Justin Bieber ganhando o prêmio de melhor clip masculino e agradecendo a Deus e a Jesus. E Kate Perry, a grande vencedora da noite ganhando o prêmio de melhor vídeo do ano. Kate é aquela filha de pastor, que um dia abandonou a igreja e cantou “I kissed a girl” (Eu beijei uma garota) e ontem apareceu com inusitados figurinos e um cubo na cabeça. Toda essa diversidade na mesma festa. E tudo isso vai mexer com a cabeça da nossa garotada e com a visão de mundo que eles tem.

Anderson Silva no UFC Rio

E o que dizer do novo herói da galera, Anderson Silva, o campeão peso médio de Ultimate Fighting Championship (UFC) ou Mixed Martial Arts (MMA)? Foi o esporte que agitou o último sábado e levou a galera para a frente da TV para assistir as lutas dos brasileiros contra os estrangeiros na arena em forma de octógono montada no Rio de Janeiro especialmente para o evento. E quando comentei sobre a violência da luta com meus filhos ouvi que o lutador Vitor Belfort é cristão e usa o esporte para falar de Jesus. Então tá, né?

Mas tudo isso é para dizer para vocês que nós e todos aqueles que trabalham com as gerações mais novas somos missionários que temos que constantemente reaprender a falar do Evangelho para uma geração que vive em um outro tempo e em uma outra cultura. E essa cultura muda e se multiplica com a velocidade digital de seu tempo.

Muitas igrejas tem a idéia de que ser uma Igreja Missionária é apenas enviar e sustentar missionários em lugares distantes, mas uma Igreja Missionária se engaja na missão de Deus, primeiro tendo consciência de quem ela é como igreja local em seus dons, virtudes, recursos e limitações. Depois precisa ter consciência de onde ela está geográfica e historicamente. E se as novas gerações estão na sua igreja e seu chamado é trabalhar com elas, você já sabe qual é o seu papel na missão de Deus.

Hans Rookmaaker, estudioso holandês, crítico de arte e cristão do século passado, escreveu sobre a nova geração em sua mais famosa obra “Arte Moderna e A Morte de uma Cultura”. Ele disse que a nova geração é composta por seres humanos que estão clamando desesperados pela perda de sua humanidade, seus valores e suas certezas e vagam na escuridão em busca de respostas. Apesar de ter sido escrito no século passado, esse ainda é um retrato muito fiel das novas gerações.

E ele continua dizendo que se quisermos ajudar essa geração, precisamos ouvir o seu clamor por se libertar desse universo sem objetivos, sem sentido e absurdo. Novamente, uma citação do século passado que constatamos com tristeza ser tão atual.

Que campo missionário tão carente e desafiador são as novas gerações! Que oportunidade para a missão da qual todos nós cristãos somos parte! As novas gerações estão diante de nós para que façamos discípulos e ensinemos a Palavra de Deus que salva e muda vidas.

Precisamos conhecer a cultura deles como um missionário faz ao se deparar com uma cultura diferente. Isso significa deixar de lado as críticas para que possamos alcançá-los e não aumentar o abismo entre as gerações. E também construir as pontes que podem nos ligar a eles para saber quais são as suas reais necessidades. Assim poderemos levar até eles o Evangelho de uma forma que alcance suas mentes e seus corações.

É por isso que há razões missionárias para você assistir ao VMA, saber qual é o último hit da Lady Gaga, do Justin Bieber ou do Luan Santana, conhecer os lutadores do UFC, assistir os filmes que eles assistem, estar nas mídias sociais (Facebook, Twitter), saber o que está “bombando” no Youtube e o que eles assistem na TV. Isso para não dizer que você tem aprender a enviar torpedos e por aí vai.

Quero esclarecer que essas idéias todas, além de não serem nada originais e não serem necessariamente minhas, são bíblicas. Por isso cito aqui a fonte: me inspirei no brilhante Paulo em sua passagem por Atenas e podemos ler essa passagem incrível da vida dele em Atos 17:16-34.

Aproveite e faça um download da Bíblia no seu celular e seja um missionário na Nova Geração.

Convocação para um Novo Ministério de Adolescentes

Acampamento de Pré-Adolescentes em Maio de 2008

Acampamento com Pré- Adolescentes em Maio de 2008

Ter como propósito servir ao Reino através do Ministério de Adolescentes (garotada de 11 à 17 anos) é um tremendo privilégio, mas é dureza. Não que seja fácil servir ao Reino em outros ministérios, mas se você está a algum tempo trabalhando com essa galera, sabe bem do que eu estou falando.

Se você acompanha meu blog, notou que minhas postagens ficaram bem espaçadas nos últimos tempos e se achou que eu estava desanimada, acertou em cheio. Estava mesmo, mas estou voltando com força total e quero convocar todos vocês que se dedicam a trabalhar com pré-adolescentes e adolescentes a sonhar comigo sobre um novo tempo para esse Ministério no nosso país. Sim, sou uma sonhadora e sei que muitos de vocês que estão lendo esse texto aí do outro lado da tela do computador também são e juntos podemos fazer com que esses sonhos se tornem realidade.

Sabemos que no nosso Brasil, o Ministério de Adolescentes não é considerado um ministério de “primeira classe” ou prioritário, como diriam outros. E isso não é privilégio só do nosso país. Assisti essa semana um documentário na Internet, DIVIDED, que tenta provar a tese que o Ministério de Adolescentes não é bíblico e por isso nem deveria existir! Bem, há coisas boas nesse documentário e ele sozinho renderia um post inteiro, mas a sua idéia geral para mim é inconcebível.

Pequenos Grupos de Adolescentes em Outubro de 2010

Minha experiência pessoal, como já disse, chega a ser desencorajadora. Já ouvi, como um elogio, que era muito qualificada para trabalhar com a garotada de 11 à 17 anos porque tenho Master of Divinity ou M.Div. em Estudos Bíblicos e Pastorais, e por isso deveria me dedicar ao Ensino de adultos. Quando fui dispensada da igreja onde exercia a função de Coordenadora de Ensino da Nova Geração, ouvi da liderança que minha função era luxo ao qual a igreja não podia se dar num momento de crise financeira. Quando minha equipe questionou a liderança sobre o futuro do Ministério, a resposta foi de que, ele poderia ser “tocado” por voluntários da melhor maneira que fosse possível. Ou seja, outros ministérios da igreja precisavam de pessoas qualificadas, mas o Ministério de Adolescentes não. E isso não aconteceu porque era nessa igreja específica. Não quero generalizar, portanto digo que isso aconteceria em 99% das igrejas brasileiras.

Mas chegou um Novo Tempo para os Ministérios Infantis,  Ministérios de Adolescentes e Ministérios de Jovens no nosso país. Esses ministérios precisam de pessoas com um chamado sério, preparadas, com uma base teológica sólida porque tem uma missão seriíssima à cumprir.

Como escrevi em um Editorial do dia 28/02/2010 para a igreja onde trabalhava repito aqui:

“Antes de enviar seus discípulos para curar as pessoas física e espiritualmente Jesus lhes disse que as multidões “estavam aflitas e desamparadas, como ovelhas sem pastor.” (Mt 9:36) Essa descrição de 2 milênios atrás aplica-se perfeitamente às crianças, adolescentes e jovens de hoje. Basta olhar nas nossas escolas, nas faculdades, nos shoppings, nas baladas, nas praias, enfim em todos os lugares que multidões da Nova Geração ocupam. 

 A Bíblia usa muitas e muitas vezes a expressão “de geração em geração”, para deixar bem claro que uma geração é responsável pela geração que vem a seguir em versículos como esse de Juízes 2:10-11:

10 Depois que toda aquela geração foi reunida a seus antepassados, surgiu uma nova geração que não conhecia o SENHOR e o que ele havia feito por Israel.

11 Então os israelitas fizeram o que o SENHOR reprova e prestaram culto aos baalins.

Que triste saber que uma geração inteira se afastou dos caminhos do Senhor porque a geração responsável por ela não cuidou dela como deveria. Mas é ainda mais triste perceber que a geração atual está cometendo os mesmos erros com a Nova Geração. Somos rápidos em apontar o dedo para os erros dos nossos adolescentes e jovens, mas esquecemos das nossas responsabilidades para com eles.

É nosso dever mostrar e ensinar à Nova Geração os valores de Deus que são eternos, não mudam com o tempo, com a moda ou com a sociedade da época. E se nós como igreja não atuarmos firmemente na formação da Nova Geração ensinando os valores de Deus para eles, alguém fará isso em nosso lugar. Será que pretendemos deixar a formação da Nova Geração para a escola, para os amigos, para a TV, para o cinema ou para a Internet?”

Líderes e Pastores de Adolescentes não são recreadores ou pessoas com o dom de entreter essa faixa etária. Eles são servos de Deus, chamados por Ele, que buscam se equipar estudando a Palavra de Deus, a cultura e o comportamento dessa faixa etária para ajudar os pais na tarefa de ensinar a Palavra de Deus aos seus filhos e acompanhar a vida espiritual deles.

Por isso estou convocando vocês, líderes, pastores e voluntários que trabalham com adolescentes; pais de adolescentes e outros cristãos que lêem esse blog e estão envolvidos no trabalho com essa Geração de Pode Mudar o Mundo, a elevar esse Ministério à um patamar mais alto, que esse seja um Ministério prioritário para a igreja de hoje e que seja tão importante quanto os outros ministérios da igreja, cuidado por pessoas capacitadas. 

Se você aceitar essa convocação, deixe um breve comentário aqui, clique no like, repasse esse link para outros líderes, enfim, ajude a criar esse novo tempo.