Razões Missionárias para Assistir ao VMA

Você que é líder da galera de 11 à 17 anos precisa saber o que aconteceu no VMA ontem e vou explicar porquê. Mas se você nem sabe o que é VMA, o seu caso é grave, mas não é um caso perdido. Claro que não podemos esquecer que você também precisa estar por dentro do que foi o UFC Rio ou MMA nesse último sábado e que dependendo da região onde mora ou dos adolescentes da sua igreja também saber dos shows que rolaram na Festa do Peão em Barretos.

Não, você não está no blog errado. Mas no mundo globalizado, o que aconteceu no Video Music Awards, ontem nos EUA, vai direta ou indiretamente influenciar essa galera para quem nós temos que comunicar o Evangelho. Se você perdeu a transmissão direta e ao vivo, não se preocupe, haverá reprise na MTV Brasil.

Jo Calderone VMA 2011

E se você é como eu, assista com seu computador ao lado para poder pesquisar tudo o que não está entendendo. Quando Lady Gaga apareceu travestida de homem, cantando como um homem e o locutor dizia que ela estava cantando como Jo Calderone, pensei que ela estava imitando um cantor dos anos 60 que eu não conhecia. Mas o Google me informou que Jo Calderone é o alter ego masculino de Lady Gaga que interpreta a canção “You and I”. Por essa eu não esperava mesmo.

Justin Bieber no VMA 2011
Kate Perry no VMA 2011

Você também verá o garoto bonzinho (por enquanto) Justin Bieber ganhando o prêmio de melhor clip masculino e agradecendo a Deus e a Jesus. E Kate Perry, a grande vencedora da noite ganhando o prêmio de melhor vídeo do ano. Kate é aquela filha de pastor, que um dia abandonou a igreja e cantou “I kissed a girl” (Eu beijei uma garota) e ontem apareceu com inusitados figurinos e um cubo na cabeça. Toda essa diversidade na mesma festa. E tudo isso vai mexer com a cabeça da nossa garotada e com a visão de mundo que eles tem.

Anderson Silva no UFC Rio

E o que dizer do novo herói da galera, Anderson Silva, o campeão peso médio de Ultimate Fighting Championship (UFC) ou Mixed Martial Arts (MMA)? Foi o esporte que agitou o último sábado e levou a galera para a frente da TV para assistir as lutas dos brasileiros contra os estrangeiros na arena em forma de octógono montada no Rio de Janeiro especialmente para o evento. E quando comentei sobre a violência da luta com meus filhos ouvi que o lutador Vitor Belfort é cristão e usa o esporte para falar de Jesus. Então tá, né?

Mas tudo isso é para dizer para vocês que nós e todos aqueles que trabalham com as gerações mais novas somos missionários que temos que constantemente reaprender a falar do Evangelho para uma geração que vive em um outro tempo e em uma outra cultura. E essa cultura muda e se multiplica com a velocidade digital de seu tempo.

Muitas igrejas tem a idéia de que ser uma Igreja Missionária é apenas enviar e sustentar missionários em lugares distantes, mas uma Igreja Missionária se engaja na missão de Deus, primeiro tendo consciência de quem ela é como igreja local em seus dons, virtudes, recursos e limitações. Depois precisa ter consciência de onde ela está geográfica e historicamente. E se as novas gerações estão na sua igreja e seu chamado é trabalhar com elas, você já sabe qual é o seu papel na missão de Deus.

Hans Rookmaaker, estudioso holandês, crítico de arte e cristão do século passado, escreveu sobre a nova geração em sua mais famosa obra “Arte Moderna e A Morte de uma Cultura”. Ele disse que a nova geração é composta por seres humanos que estão clamando desesperados pela perda de sua humanidade, seus valores e suas certezas e vagam na escuridão em busca de respostas. Apesar de ter sido escrito no século passado, esse ainda é um retrato muito fiel das novas gerações.

E ele continua dizendo que se quisermos ajudar essa geração, precisamos ouvir o seu clamor por se libertar desse universo sem objetivos, sem sentido e absurdo. Novamente, uma citação do século passado que constatamos com tristeza ser tão atual.

Que campo missionário tão carente e desafiador são as novas gerações! Que oportunidade para a missão da qual todos nós cristãos somos parte! As novas gerações estão diante de nós para que façamos discípulos e ensinemos a Palavra de Deus que salva e muda vidas.

Precisamos conhecer a cultura deles como um missionário faz ao se deparar com uma cultura diferente. Isso significa deixar de lado as críticas para que possamos alcançá-los e não aumentar o abismo entre as gerações. E também construir as pontes que podem nos ligar a eles para saber quais são as suas reais necessidades. Assim poderemos levar até eles o Evangelho de uma forma que alcance suas mentes e seus corações.

É por isso que há razões missionárias para você assistir ao VMA, saber qual é o último hit da Lady Gaga, do Justin Bieber ou do Luan Santana, conhecer os lutadores do UFC, assistir os filmes que eles assistem, estar nas mídias sociais (Facebook, Twitter), saber o que está “bombando” no Youtube e o que eles assistem na TV. Isso para não dizer que você tem aprender a enviar torpedos e por aí vai.

Quero esclarecer que essas idéias todas, além de não serem nada originais e não serem necessariamente minhas, são bíblicas. Por isso cito aqui a fonte: me inspirei no brilhante Paulo em sua passagem por Atenas e podemos ler essa passagem incrível da vida dele em Atos 17:16-34.

Aproveite e faça um download da Bíblia no seu celular e seja um missionário na Nova Geração.

Anúncios