Onde Estão os Adolescentes da Igreja?

Essa situação é familiar para você?

“Uma igreja com um ministério infantil lotado de crianças, um ministério de pré-adolescentes com um pequeno mais difícil rebanho, um ministério de adolescentes com poucos garotos e garotas que aparecem de vez em quando na igreja e um ministério de jovens com alguns fiéis remanescentes.”

Muito provavelmente você deve ter respondido que sim. E essa é a triste realidade das igrejas brasileiras e também das igrejas americanas. E o problema é tão sério que motivou um estudo e uma pesquisa feitas pelo Fuller Youth Institute chamado “Sticky Faith” (Fé que Cola). Tudo isso para descobrir porque parece que a Fé não “cola” nos adolescentes e eles se afastam da comunidade cristã justamente nesse período tão crítico da vida deles.

Livro Sticky Faith

Esse projeto de pesquisa teve como resultado, além do site, alguns livros, dentre os quais o “Sticky Faith: Everyday ideas to build lasting faith in your kids” (Fé que cola: Idéias do dia a dia para ajudar seus filhos a terem uma fé que perdure), que eu acabo de ler. Se você tiver algum tipo de pré-conceito contra idéias, livros, pesquisas e ensinos norte-americanos, peço que deixe de lado esses sentimentos em favor do Reino. Porque, após ler e analisar o livro percebendo que os contextos podem ser diferentes, ficou muito claro para mim que o grande problema é o mesmo: os adolescentes que se afastam da fé e da vida cristã e o que precisamos fazer para reverter essa situação. E é disso que quero falar, é esse o ponto que líderes, pastores, voluntários do Ministério de Adolescentes e pais de adolescentes precisam urgentemente discutir.

Sei que muitos dirão que grande parte desses adolescentes acabam votando para a igreja e para a fé cristã na idade adulta e isso é verdade. Mas eles voltam feridos, sofrendo as consequências de erros cometidos, sem amigos na comunidade cristã e sem terem produzido frutos numa das melhores épocas de suas vidas. Por isso não podemos mais nos conformar com essa situação e precisamos conscientizar a Igreja brasileira de que os adolescentes são um imenso e importante campo missionário dentro da própria igreja e que precisa ser urgentemente alcançado pela comunidade cristã.

Esse vídeo demonstra muito bem o que acontece em nossas igrejas:

O livro “Sticky Faith: Everyday ideas to build lasting faith in your kids” cita alguns motivos que podem estar causando essa evasão dos adolescentes da igreja porque a fé não “cola” neles. E um desses motivos é a segregação dos adolescentes pela igreja. Na tentativa de sermos mais apropriados e relevantes para essa faixa etária acabamos segregando os adolescentes do restante da igreja. Eles acabam não se sentindo parte da igreja e infelizmente muitas vezes são realmente vistos pela igreja como um ministério menos importante ou até como um problema. Que ligação esses adolescentes terão com essa comunidade? Por que eles irão permanecer ali quando tiverem a liberdade de sair?

Os adolescentes precisam se sentir acolhidos, bem vindos e úteis na igreja. E isso não trabalho apenas do líder ou pastor de adolescentes, mas é função de toda a comunidade adulta da igreja. A Bíblia nos diz repetidamente que uma geração é responsável pela geração que a sucede Sl 145:4; Sl 22:30; Sl 102:18 . As igrejas precisam se perguntar: “Como podemos integrar os adolescentes com nossa comunidade?” E cada igreja vai encontrar suas próprias respostas porque cada comunidade tem suas características.  Pode ser através de cultos conjuntos, de viagens missionárias conjuntas, de pequenos grupos, de grupos de louvor misto, de grupos de discipulado, enfim cabe a cada comunidade encontrar a maneira de se conectar com seus adolescentes. E com certeza essa geração carece de relacionamentos verdadeiros, de líderes e mentores que se importem com eles, que os ouçam. Eles precisam de modelos, de exemplos de vida cristã e de oportunidades para servir. Quando os adolescentes sentem que são parte de algo, eles vestem a camisa, eles escolhem participar, eles fazem diferença e trazem outros adolescentes.

Tenho falado em algumas igrejas em diferentes partes do nosso país e o grande problema que líderes e pais de adolescentes encontram é ver essa garotada chegando ao final da adolescência e abandonando a fé cristã. Não podemos mais olhar para isso e dizer que é culpa desse mundo louco, da televisão, da Internet e da inversão de valores. Precisamos olhar para o que nós, Igreja Brasileira, estamos fazendo ou deixando de fazer para que toda uma geração se afaste dos caminhos do Senhor. E corrigir o nosso rumo para que possamos guiar aqueles que vem atrás de nós.

Por isso quero desafiar você a começar hoje a contagiar a geração adulta da sua comunidade com o amor, o cuidado, a oração, o discipulado, o ensino pela geração adolescente!

Anúncios