Será que Papai Noel vai finalmente acabar com o Natal?

No último sábado dia 10/12 o jornal O Estado de São Paulo publicou um ótimo texto de Dom Odilo P. Scherer, Cardeal Arcepisbo de São Paulo, que nos leva à uma boa reflexão. No texto “O Menino, o rei e o bom velhinho” ele faz a pergunta: “Será que o “bom velhinho” – Hô! Hô! Hô! -, na sua pachorra, vai conseguindo o que Herodes não conseguiu com sua ira: eliminar o menino da cena?”

Como é que as Novas Gerações estão celebrando o Natal? O que realmente importa para elas? E nós, líderes, pais, pastores? Qual é o nosso papel nisso tudo? Não estou, como alguns cristãos, propondo uma caça ao Papai Noel ou sua queima em praça pública. Nem sou contra outros símbolos natalinos já incorporados em nossa cultura. Trata-se de uma questão de valorizar o que realmente precisa ser valorizado.

Na última sexta-feira dia 09/12 também recebi de um conhecido de meu marido um e-mail. O senhor que enviou o email é um indiano cristão, que mora na India e nos mandou como mensagem de Natal o link para um vídeo. O vídeo é de uma canção e está no Youtube. O link conta a história de como a canção “Where is the line to see Jesus” foi composta.

A história é a seguinte:

Enquanto Becky passeva no shopping há alguns anos atrás, com seu sobrinho Spencer, que na época tinha apenas 4 anos, eles viram  as crianças fazendo fila para ver Papai Noel.Como Spencer havia aprendido o Natal é o a festa em que os cristãos comemoram o nascimento de Jesus, ele perguntou a sua mãe que estava com eles, “onde está a fila para ver Jesus”?  A Irmã de Becky comentou isso com seu pai, Steve Haupt, que imediatamente se inspirou e anotou algumas palavras para compor uma música em apenas alguns minutos. Depois de colocar a música às palavras, e fazer uma gravação caseira rápida, ele recebeu uma resposta positiva de seus amigos que ouviram a canção. Seu pai perguntou se Becky queria gravar a música para ver o que poderia acontecer com a canção. Becky escutou a música, fez algumas mudanças e se dirigiu para  a Shock City Studios.

Foi no estúdio que Chris Loesch, proprietário e produtor, reescreveu o verso 2 e parte do coro, com mais  emoção. Todos eles sentiram como se tivessem algo especial e gravaram a canção demo em pouco menos de duas horas. Duas semanas antes do Natal do ano retrasado, os primos de Becky decidiram fazer um vídeo rápido para colocar no YouTube. O primeiro dia teve 3.000 acessos e no final chegou a 1milhão de acessos! Becky recebeu e-mails, telefonemas, mensagens do Facebook de pessoas de todo o mundo pedindo a música, CDs, iTunes, uma versão completa, qualquer coisa … mas eles não tinham nada.
Depois dessa resposta surpreendente eles tiveram mais alguns encontros com Chris e a coisa ficou séria. Eles voltaram ao estúdio na primavera seguinte … desta vez com guitarras, bateria, baixo, pianos, coros … tudo prá valer. E o resultado está nesse clip abaixo. Um trabalho de muitos cristãos que  lembra o verdadeiro significado do Natal. 

Da boca de crianças vêm verdades profundas que muitos adultos não conseguem entender. A esperança dos autores da música é que a observação de Spencer fará com que pessoas de todo mundo possam refletir sobre o amor de Jesus, e saber que um dia todos nós vamos ficar na fila para vê-Lo. Becky é muito grata ao Pai Celestial por ter esta oportunidade de compartilhar sua música com tantas pessoas. 

O vídeo original em inglês atingiu mais de 3 milhões de acessos! Abaixo está o vídeo com legendas em português e vocês podem compartilhar o link do Youtube com seus adolescentes. Pode não ser um hit da MTV, mas é uma canção atual com uma mensagem muito importante para o Natal.

“Aquele que é a Palavra tornou-se carne e viveu entre nós. Vimos a sua glória, glória como do Unigênito vindo do Pai, cheio de graça e de verdade.” João 1:14

Anúncios

Presente de Natal: A História do Natal para Adolescentes

Durante alguns anos, quando chegava essa época do Natal, meus pré-adolescentes e adolescentes chegavam para mim e diziam coisas como:

  • “Você não vai falar do Natal de novo, vai?”
  • “Fala sério, a gente tá cansado de ouvir a história doi nascimento de Jesus…”
  • “Cê tá zoando, né? Vai falar do verdadeiro sentido do Natal? A gente já ouviu isso o ano passado?”
  • “Por que a gente tem que ouvir sobre o Natal aqui no EPA e no EX se já vai ter a apresentação de Natal e o culto de Natal da igreja?”

Se os seus adolescentes são como os meus, você já deve ter ouvido algo parecido e pode estar enfrentando novamente o desafio de falar sobre o Natal para eles sem que eles olhem para você com aquela cara de “já sei tudo isso” ou “lá vem aquela história de Natal novamente”. Foi por isso que desenvolvi algumas formas alternativas de falar sobre o Natal para eles como por exemplo, um Quiz de Natal com perguntas sobre o verdadeiro Natal que eles acham que sabem, mas não sabem. Por exemplo, a maioria deles infuenciada pela tradição dos presépios, acha que os Reis Magos eram realmente 3 e estavam presentes na noite do nascimento de Jesus junto com os pastores. Com detalhes assim, acabava mostrando a eles que a Bíblia tem sempre algo a nos ensinar, mesmo em histórias tão conhecidas como a do Natal.

Mas nesse Natal de 2011, resolvi dar de presente para vocês, um material, uma lição, pregação ou ensino inteiro que criei e usei com meus pré-adolescentes e adolescentes no Natal. Na verdade usei esse mesmo Ensino com práticamente 2 gerações, em 2006 e em 2009 com as devidas adaptações e alcancei os resultados que esperava. O nome é “O Primeiro Natal” e o objetivo é mostrar que no primeiro Natal Deus nos deu o maior presente, o nascimento de Jesus, Filho de Deus e nosso Salvador.

Também foi um presente, uma benção para Maria e José serem os pais terrenos de Jesus, mas aceitar esse presente foi uma decisão que eles tiveram que tomar e que exigiu deles abrir mão de algumas coisas. Com certeza essas coisas eram muito menos importantes do que “receber” Jesus, mas muitas vezes nos apegamos à essas pequenas coisas e deixamos Jesus em segundo plano, encontrando desculpas para adiar ou até não assumir um compromisso com Jesus. Mas Maria e José entenderam o que era mais importante e aceitaram o presente. Eles disseram SIM para Jesus. E os nossos adolescentes? Qual é a resposta que eles tem dado para Jesus?

Vamos ao que interessa, que é o meu presente para vocês. Para fazer o download do arquivo é só clicar aqui .

Tenho 2 pedidos para vocês. Se você baixar esse arquivo, gostaria que você mandasse em COMENTÁRIOS, alguns dados:

NOME (completo):

EMAIL DE CONTATO:

BLOG ou SITE (se tiver): 

IGREJA ou INSTITUIÇÃO onde atua: 

CARGO QUE OCUPA NA IGREJA:

COMENTÁRIOS: principalmente se você utilizou o material.

Num mundo com tantas mensagens erradas sobre o Natal é extremamente importante que alcancemos essa Nova Geração com a verdadeira história do Natal:

“Hoje, na cidade de Davi, lhes nasceu o Salvador, que é Cristo, o Senhor.” Lucas 2:11

Prontos para mais esse desafio? O ano pode estar acabando, mas nossa missão não. Até o final do ano tem mais posts para vocês. Aguardem!

Crepúsculo: E Viveram (Morreram?) Felizes para Sempre… Ainda não….

Cena do casamento de Bella e Edward

A última parte da Saga Crepúsculo, não é na realidade a última. Ela é apenas a primeira parte da última parte, o que significa, que teremos pela frente pelo menos a parte 2 do Amanhecer. Isso se os produtores não derem uma esticadinha e fizerem a parte 3… Que confesso, seria para mim “O Martírio”.

O começo do meu comentário já dá uma pequena idéia das minhas impressões sobre o novo filme da Saga. Esse é, na minha opinião, o pior dos três filmes lançados até agora e pode ser resumido em: Bella e Edward se casam, Bella e Edward partem para sua lua de mel e consumam o casamento, Bella engravida, a gravidez coloca a vida de Bella em risco e reascende as desavenças entre os lobisomens e os vampiros, mas reaproxima Bella e Jacob. O bebê de Bella nasce, mas Bella não resiste, Jacob tem um “imprint” com a bebê Renesmee e Carlisle aparece no final para transformar Bella.

A questão do sobrenatural, dos vampiros e lobisomens está presente em todo o filme e mais uma vez exerce grande atração sobre o público adolescente, como aconteceu com os outros filmes. As cenas de luta nesse filme são mais violentas e rápidas o que não deixa de ser uma grande jogada para atrair o público masculino, além é claro da eterna competição entre Jacob e Edward.

Mas o ponto alto de Amanhecer está na tão esperada primeira relação sexual de Edward e Bella e que só acontece depois do casamento. Os adolescentes vão usar isso para nos dizer que o filme traz “valores cristãos”, mas Edward só faz isso porque é um jovem de 117 anos e no seu tempo, as garotas se casavam virgens, e não por uma convicção cristã. Além disso, é impossível não notar o semblante de Bella, durante todo o tempo que antecede o casamento, no casamento e na viagem de lua de mel, antes da primeira noite do casal. Ela mais parece uma condenada à morte em seu caminho para a forca ou para o paredão de fuzilamento.

Bella vê o quarto destruido após a primeira noite de amor do novo casal.

Um dos grandes problemas do filme está justamente na forma em que o sexo é colocado no contexto do casamento. O sexo é a motivação principal para o casamento dos dois e sabemos que apesar de ser muito importante no casamento, sexo não é tudo. Há muito mais numa relação de casal do que o sexo. Mas o filme parece mostrar que a festa, o vestido deslumbrante, a lua de mel paradisíaca e o sexo “do outro mundo” são o que mais  importa. Bella só dá um sorriso quando acorda depois da primeira noite de amor do casal e vê o quarto todo destruído. Ao assistir a cena, pensei no efeito que isso pode ter na cabecinha de nossos adolescentes. Sexo entre marido e mulher tem a ver com amor e carinho e não com performance.

E quando depois de alguns dias Bella descobre que está grávida, ela se surpreende com a reação de Edward que chama o bebê de “essa coisa” e imediatamente prepara a volta deles para casa para que Carlisle dê um jeito de se livrar daquela “coisa”. Esse seria o ponto do filme, que com muita boa vontade, poderíamos iniciar um debate sobre aborto com nossos adolescentes. Os vampiros, Bella e Jacob discutem se aquela nova criatura é realmente um ser vivente, é uma coisa, é um feto ou um bebê. Mas Bella é irredutível e se recusa a se submeter ao aborto, mesmo arriscando a própria vida.

Todd Perage, um americano pastor de adolescentes, sugere uma discussão sobre aborto à partir do filme no site The Source:

Discussão sobre o Filme:

Pergunta: Qual é a maior questão que o filme levanta?
Resposta: É a questão do aborto, principalmente quando eles discutem sobre como chamar o fruto da gestação: se de feto, bebê ou coisa.

P: Como você se sentiu quando Bella e Edward estavam conversando sobre se livrar do bebê? 
R: (Deixe que eles se expressem).

P: Como um cristão sério deve reagir sobre essa questão do aborto? Peça que eles leiam Salmos 139:13-16
R:Explore questões como: o que a passagem fala sobre crianças que ainda não nasceram; as pessoas tem ou não o direito de escolha sobre a vida dessas crianças.

Veja mais informações sobre a série no livro A Sedução do Crepúsculo e no artigo Os Perigos e As Mentiras da Saga Crepúsculo. 

Só nos resta aguardar a Parte 2 e ver o inusitado romance do lobisomem Jacob com a Vampira/humana Renesmee, e o confronto final dos Volturi com os Cullen! Quando parecia que não faltava mais nada, Stephanie Meyer, a autora da série, nos surpreende com coisas cada vez mais nonsense!