Cinema, pipoca e o papo vai rolar 2

O mês está quase acabando e é hora de dar mais dicas de filmes para líderes e pais de adolescentes (garotada na faixa de 11 à 17 anos). Mais uma vez a idéia é que esses filmes possam ser assitidos pelos adolescentes sozinhos ou junto com suas famílias e que sejam um ponto de partida para um papo informal sobre questões importantes na vida de um adolescente cristão. Hoje vou falar de dois filmes bem diferentes, mas que vão agradar a todos.

O FAZENDEIRO DE DEUS (FAITH LIKE POTATOES)– Concordo que o título do filme em português não é muito animador e chega a ser piegas, além de não ter nada a ver com o título original em inglês. Mas garanto que vocês não vão se arrepender de assistir esse filme emocionante, baseado numa estória real. Um fazendeiro, Angus Buchan, filho de escocês, nascido na Zâmbia muda-se para a África do Sul com a família, sua esposa Jill e três filhos pequenos. Ele deixa para trás uma fazenda que formou com as próprias mãos, uma casa confortável e leva com ele apenas algum dinheiro, um trator e algumas poucas coisas que cabem no seu caminhão.

Na África do Sul terá que recomeçar sua vida do nada e com Jill grávida do quarto filho. Vivendo num trailer e trabalhando duro noite e dia em suas terras, Angus chega à beira de um ataque de nervos. Depois de beber com amigos e até tomar calmantes sem resultado, ele acaba aceitando contrariado o convite para ir à uma pequena igreja metodista na cidade e se rende diante de Deus entregando sua vida à Jesus. A vida de Angus continua difícil e dura como antes, mas ele passa a enfrentar as dificuldades e perdas com a fé em Jesus. Ele descobre o dom de evangelizar que Deus lhe deu e sua vida de fé inabalável causa um grande impacto na vida das pessoas ao seu redor até que… Bem agora você vai ter que assistir para saber como isso acaba, pois não vou contar o fim do filme, não é? Ah, e você precisa descobrir o que as batatas e a fé tem em comum!

O DVD também traz um documentário com o verdadeiro Angus e toda a estória da produção do filme, que vale à pena assistir.

 

A ÚLTIMA MÚSICA (THE LAST SONG) – A estória se passa numa pequena cidade praiana do sul dos EUA, onde um pai separado (Greg Kinnear) tem a chance de passar o verão com sua filha adolescente Ronnie (Miley Cyrus) e seu filho mais novo, Jonah (Bobby Coleman), que vivem em Nova York. Mas Ronnie, ainda machucada pelo divórcio dos pais e revoltada por ter que deixar Nova York no verão, tem atitudes rebeldes e agressivas com o pai. Ele tenta se reaproximar dela por meio da única coisa que eles têm em comum − a música. O filme dá grande ênfase aos valores da família, amizade e amor e mostra o quanto o perdão é importante para que esses relacionamentos se fortaleçam e nos ajudem a superar crises e dificuldades (Ef 4:32). As garotas, principalmente, não vão se decepcionar com o clima de romance entre Ronnie e Will (Liam Hemsworth) e com  a preocupação ecológica dos namoradinhos e de Jonah que tentam  proteger os ovos de tartarugas marinhas na frente da casa do pai dela. Não vou contar o final, mas a galera mais sensível pode preparar os lencinhos para as últimas emoções.

Bom filme para todos e aguardem mais dicas de filmes em Abril!

Grupos Pequenos: Moda ou Necessidade?

Pequeno Grupo de adolescentes na igreja em que implantei os Pequenos Grupos para essas faixas etárias.

Vivemos numa cultura onde as amizades são superficiais e até virtuais. Nossos pré-adolescentes e adolescentes tem centenas de amigos, mas sequer conhecem alguns desses “amigos”, que encontram no Facebook, Twitter e outras mídias sociais. Não tenho nada contra as mídias sociais, apenas estou fazendo aqui uma leitura de nosso tempo.

Por isso a Igreja deve e pode fazer diferença, tornando-se um espaço onde há uma comunidade poderosa, autêntica e centrada em Jesus Cristo e os pré-adolescentes e adolescentes:

  • são aceitos do jeito que eles são.
  • podem discutir assuntos muito importantes de suas vidas.
  • podem ter um mentor espiritual e ter um crescimento espiritual.
  • podem aprender a aplicar as verdades bíblicas em suas vidas e buscar ajuda para enfrentar seus problemas do dia a dia.

O principal propósito dos Pequenos Grupos é que eles sejam  espaços onde pré-adolescentes e adolescentes se conectem num relacionamento com Jesus Cristo e uns com os outros. Eles devem ter uma atmosfera acolhedora para que pré-adolescentes e adolescentes possam construir relacionamentos significativos com outros pré-adolescentes e adolescentes, que tem os mesmos tipos de desafios e objetivos que eles.

Os Pequenos Grupos devem ser lugares seguros, onde seus membros tenham a liberdade de ser verdadeiros e possam compartilhar suas lutas e dificuldades. Para que esse ambiente seja criado, o Líder deve dar o primeiro passo.(1 Ts 2:8)

A tarefa do Líder de Pequeno Grupo não é fácil. Como um cristão mais maduro, ele tem a habilidade de comunicar a verdade de Deus. O líder precisa se preparar para o encontro com o Pequeno Grupo e precisa acompanhar os membros do seu grupo, principalmente aqueles que estão precisando de maiores cuidados. (At 20:24)

O líder não pode dar o que ele não tem, por isso tem que fazer do seu relacionamento com Jesus uma prioridade. Dessa forma poderá passar isso quase que de forma natural para os membros do seu grupo. (Cl 3:16)

O estilo de liderança de um líder de Pequeno Grupo deve ser o do líder servo, aquele que serve seus liderados. (Mc 10:43)

A maior dificuldade que tive para implantar os Pequenos Grupos entre os pré-adolescentes e adolescentes foi a falta de líderes adultos e imagino que essa deva ser a dificuldade da maioria das igrejas. O argumento bíblico que os adultos da igreja mais usam para “fugir” dessa responsabilidade é que a  Bíblia nos diz  que os pais são diretamente responsáveis pelo cuidado espiritual de seus filhos e isso é verdade. Mas a Bíblia não diz que eles são os únicos responsáveis por isso.Toda uma comunidade de fé que vem antes dessa Nova Geração também tem responsabilidade sobre ela e a história de Juízes (Jz 2:10) e outros trechos da Bíblia (Sl 145:4; Sl 22:30; Sl 102:18) nos mostram que essa é uma responsabilidade de uma geração inteira.

Como Igreja precisamos orar por essa geração e agir, pois nossa missão é transmitir a Palavra de Deus para eles. A história do povo de Deus continua a ser escrita em nossas vidas e, quando não estivermos mais aqui, qual terá sido o legado deixado por nós?

E respondendo a pergunta do título, os Grupos Pequenos não são moda. Eles são extremamente necessários para que possamos cumprir essa tarefa que temos como Igreja. Sei que não é fácil motivar os adultos de sua igreja, por isso estou colocando aqui um vídeo que legendei e utilizei para motivar os líderes de Pequenos Grupos de meu antigo ministério. Espero que seja de grande ajuda para vocês também.

Para líderes de Pequeno Grupo desanimados, lembre-os de que: se os membros do grupo que eles lideram parecem não entender nada do que eles dizem e vivem dizendo ou fazendo bobagem, eles lideram um Pequeno Grupo bem parecido com o que Jesus liderou há cerca de 2ooo anos e que transformou o mundo!

Deus e o Terremoto no Japão

Destruição do terremoto e tsunami no Japão

Nos últimos dia não se fala em outra coisa: o terremoto, o tsunami e a tragédia nuclear que atingiram o Japão. Continuo aqui nos Estados Unidos e sei que tanto aqui como no Brasil e no resto do mundo a comoção é geral.

Mas e os nossos pré-adolescentes e adolescentes? Quais são as perguntas que eles estão fazendo sobre isso? O que estão pensando? No último domingo estava numa igreja aqui dos Estados Unidos e todos eles estavam certos de que esses acontecimentos eram o início do final dos tempos. Será verdade? Não sabemos, embora algumas das cenas que estamos vendo na TV e Internet sejam muito parecidas com os filmes de Hollywood que falam do final dos tempos. Entretanto como sempre digo aos pré-adolescentes e adolescentes, a cada dia estamos um dia mais perto do final dos tempos, com terremoto ou sem terremoto.

E nada melhor do que o assunto do momento para conversar com a galera da sua igreja ou com seus filhos sobre o assunto que está em todo lugar. Aproveitem a deixa e vamos lá. Creio, que na verdade o que mais preocupa a nossa garotada é o fato de um Deus tão bom permitir que coisas tão horríveis aconteçam. E é muito importante esclarecer isso em tempos em que, teorias sobre uma limitada soberania de Deus pairam em nosso meio. Precisamos esclarecer que:

  1. Deus é o criador de tudo o que existe e que controla tudo sobre a terra e céu (Salmos 135: 6-7)
  2. Os terremotos existem desde o começo dos tempos e não começaram agora e não são castigo de Deus, embora o texto que vamos sugerir para que eles leiam diga isso, mas é um caso bem específico. (Números 16: 30-34)
  3. A natureza também sofre as consequencias da queda do homem e como ele aguarda a redenção que teremos com a volta de Cristo. Gn 3:17-18Romanos 8: 19-22
  4. Não sabemos porque Deus permite que essas coisas aconteçam. Romanos 8:28

Muitos deles não gostarão  de ouvir isso, porque acham que teremos respostas para todas as suas dúvidas. Mas é normal perguntarmos para Deus porque ele deixou que um terremoto, um tsunami e um desastre nuclear acontecessem no Japão. Quando ouvimos que uma família inteira ou crianças pequenas e até bebês morreram num alagamento ou num soterramento, perguntamos para Deus como ele deixou que isso acontecesse.

Ter duvidas ou fazer perguntas como essa para Deus não é ruim ou errado.Muitas vezes as dúvidas nos levam a buscar mais a Deus e descobrir as verdades sobre ele. Quando perguntamos essas coisas para Ele estamos sendo honestos e sinceros e Deus entende isso. Além de orar pelas pessoas que estão sofrendo no Japão, devemos também aproveitar e agradecer a Deus por nossas vidas. Cada segundo que temos de vida, cada segundo, nos é concedido pela graça de Deus. Ele nos ama e nos livra de muitos males mesmo sabendo como somos e deveríamos agradecer a cada dia por isso. Não podemos esquecer que Deus criou tudo bom e o homem trouxe o pecado e mal para toda a criação.

Então, prontos para uma conversa franca e sincera sobre o assunto do momento com seus adolescentes? Não perca a ocasião, que apesar de triste e catastrófica nos permite aprofundar a conversa sobre Deus com eles.

SYMC 2011 – The End

Segunda-feira, 7  de março, o dia que todos nós na SYMC 2011 não queríamos que chegasse, inevitavelmente chegou. Foi o final dos 4 dias incríveis que Kara Powell definiu como um gigantesco Flash Mob de 3000 pessoas, com 4 dias de duração.

Para mim o dia começou com um resumo do curso “Engaging the Soul of Youth Culture” com Walt Mueller. Walt é um estudioso da cultura dos adolescentes de hoje porque crê que precisamos conhecer o mundo deles para causar impacto em suas vidas. Já havia lido algumas das matérias que Walt escreveu sobre isso, mas ouvindo ele falar apaixonadamente sobre o assunto, me tornei sua fã depois de 15 minutos de curso. Como ele, também penso que a diferença entre as gerações é tão grande hoje e cultura muda e se multiplica com a velocidade digital de seu tempo.

Precisamos conhecer a cultura deles como um missionário faz ao se deparar com uma cultura diferente, para que possamos alcança-los e diminuir esse abismo entre as gerações. Nosso trabalho no ministério com adolescentes e jovens é construir as pontes que podem nos ligar a eles para saber quais são as suas reais necessidades. Assim poderemos levar até eles o Evangelho de uma forma que alcance suas mentes e seus corações. E é justamente aí que Walt nos disse que está a diferença entre ser culturalmente relavante e ser conhecedor da cultura. Não precisamos ser relevantes para a cultura deles, pois eles não precisam de mais shows e nem podemos competir tecnologicamente falando com a MTV, Internet e outros recursos a que eles tem acesso. Mas precisamos saber o que eles assistem, ouvem, leem e conversam. E por falar nisso, vocês já deram uma olhada na letra e no novo vídeo da música “Born this Way” da Lady Gaga? Ainda não, então confira nesse link. Esse simples parágrafo renderia mais uns 3 ou 4 posts.

Finalmente nos reunimos para o momento final de louvor e celebração e Rick Lawrence nos lembrou da importância que temos na vida de cada adolescente , joveme suas respectivas famílias que passam pelos nosso ministérios. E nos fez refletir sobre as pequenas coisas que realizamos. Se você acha que isso não faz diferença, pense em como seria a vida desses adolescentes, nas quais você de alguma forma fez diferença,  se você nunca tivesse nascido. Entendeu?

Doug Fields e eu ao final da SYMC 2011

E terminamos agradecidos a Deus pelo tempo que tivemos e esperando pela SYMC 2012!

Quero deixar para vocês uma pergunta importante e um chamado para nossas igrejas. Infelizmente. a maior parte das nossa igrejas hoje, vê o Ministério com pré-adolescentes, adolescentes e jovens como o rei Ezequias via o futuro do seu povo e os seus tesouros no tempo em que reinou. Quando ele ouviu do profeta Isaías que todos os tesouros do seu povo seriam levados pelos inimgos e até as gerações seguintes do seu próprio povo seriam escravizadas ele respondeu: “É boa a palavra do Senhor que você falou”, Ezequias respondeu. Pois pensou: “Haverá paz e segurança enquanto eu viver”. Isaías 39:8.

Até quando nossas igrejas olharão para as Novas Gerações  como o rei Ezequias fez? Isaías 39:1-8.



O Terceiro Intenso Dia da Conferência

 

Rick, sua esposa Bev e eu

O terceiro dia da Conferência foi tão intenso e cheio de emoções que não consegui postar como eu queria no domingo à noite.

O dia começou com uma mensagem e uma reflexão que meu amigo Rick Lawrence nos trouxe. Rick é desconhecido para nós, brasileiros, mas é o conceituado editor da revista Group há 23 anos, especializada em Youth Ministry e um reconhecido escritor de cerca de 31 livros.

Rick nos fez refletir sobre uma estória que Brennan Manning nos conta em seu livro “O Evangelho Maltrapilho“. É sobre se sentir sozinho, isolado, frustrado e ineficaz no ministério e como Deus nos traz o socorro das maneiras mais inesperadas. Rick tem o dom espiritual de me fazer chorar toda vez que ele fala. E por falar no livro,”O Evangelho Maltrapilho”, se você ainda não leu, aí vai uma boa dica de leitura.

Depois, no workshop que eu estava fazendo e que  tinha o fantástico nome de “Pensando Teológicamente no Ministério de Adolescentes”, discutimos e refletimos muito o dia todo com o incrível Chap Clark que nos mostrou verdades teológicas muito importantes:

  • Uma delas é que os pais são os principais responsáveis pela vida espeiritual de seus filhos, mas não são os únicos. Toda uma geração é responsável pela geração que a sucede e enquanto a igreja brasileira não entender isso, estaremos andando fora dos propósitos de Deus para a Igreja.
  • O objetivo do  Ministério de Adolescentes e Jovens é ( teologicamente falando): adotar esses adolescentes e jovens como membros da família de Deus, que chamamos de igreja. E só podemos fazer isso dando amor, suporte, e espaço para que o Espírito Santo de Deus aja e faça o que só ele pode fazer.

E a noite começou com um louvor divino de Shane and Shane e um improviso com Tommy, um dos Skit Guys, Jake Rutenbar e Josh Griffin que quase nos matou de rir. Mas Tommy nos mostrou que os Skit Guys podem nos levar do riso às lagrimas ao contar a verdadeira história de como uma adolescente cristã, amiga de Eddie ( o outro Skit Guy) no Ensino Médio, mudou a vida de um outro adolescente deficiente físico.

O convidado da noite, Glenn Packiam, um jovem pastor, músico e escritor nascido na Malásia e que é pastor no Colorado, nos trouxe a mensagem da noite, que terminou com um show dos OC Supertones no Salão Principal.

Eu disse terminou? Eram 10 horas da noite e o SYM Podcast Live ia começar com transmissão ao vivo pela Internet. E eu estava lá na platéia com mais de 200 pessoas, pizza, camiseta e livro do Doug Field grátis para todo mundo. Você pode conferir tudo no site , assim que o episódio estiver on-line. Fui para o quarto exausta, feliz e com muitos sonhos para o ministério com pré-adolescentes e adolescentes no Brasil. Por outro lado já batia uma certa tristez, pois sabia que no dia seguinte teria que dizer adeus aos meus 2999 amigos apaixonados por esse ministério como eu. Mas ainda tinha muita coisa para acontecer no último dia pela manhã.

Alguns dos meus 2999 amigos

Segundo dia da SYMC 2011

Estou no final do segundo dia da Conferência, mas tanta coisa aconteceu nas últimas 24 horas, que só posso fazer um resumo das coisas incríveis que Deus tem feito aqui. Antes preciso fazer uma correção: não são 2600, mas sim cerca de 3000 pessoas assitindo a Conferência! Uma loucura!

Ontem na abertura, quase morri de rir com os Skit Guys. Sei que no Brasil eles não são conhecidos, mas vocês podem ver alguns vídeos deles no Youtube. E cada vez que assisto esses dois humoristas cristãos, me pergunto, porque não temos humoristas cristãos assim no Brasil, um país com gente tão talentosa? Será que as igrejas não dão espaço para que as pessoas desenvolvam esse tipo de dom? Fica aqui o registro de que precisamos de humoristas cristãos no Brasil.

Depois o louvor tocou o coração de todos nós e as 3000 vozes naquele salão formaram um coral impressionante. Tudo preparado para o Doug Fields nos trazer uma mensagem, simples, clara e que foi direto aos nossos corações. Resumo da mensagem: ‎”Tudo o que os adolescentes precisam é ouvir a voz transformadora de Jesus e ficar maravilhados com Jesus.”

E hoje a manhã começou com as 3000 pessoas louvando em alto e bom som o nosso Deus e Seu Filho Jesus e Cristo e tivemos a Palavra do incrível Louie Giglio. Ele lembrou da época em que nos EUA o ministério com Pré-adolescentes e Adolescentes era cínico e imaturo. E eu pensei na situação desses ministérios no Brasil. Quando é que vamos amadurecer nesses ministérios para que possamos realmente pastorear essa Nova Geração?

Louie falou sobre o livro de Apocalipse e nos relembrou das circuntancias em que João escreveu essa carta: completamente isolado na ilha de Pátmos, depois de ter sido martirizado. E nos mostrou que as circunstâncias não são motivo para deixar de fazer algo, ou João nunca teria escrito essa carta. Mas João tinha com ele a força do Espírito Santo ( Ap 1:10). E nos convidou a nos humilharmos e (Ap 1:17) honrar uns aos outros. E minha pergunta é: quando vamos começar a fazer isso?

E o dia terminou com uma mulher incrível flando a todos nós: Ruth Haley Barton e uma banda fantástica: Gungor. Mas isso fica para o próximo post.

SYMC começou!

 

Talvez você nunca tenha ouvido falar dessa Conferência: Simply Youth Ministry Conference. Mas com certeza já ouviu falar do Doug Fields (Um Ministério de Jovens com Propósito), Louie Giglio (Ministério Passion), Bo Boshers, Jim Burns e outros mais só para citar alguns dos feras em Ministério com Pré-adolelescentes, Adolescentes  e Jovens.

Pois todos eles e mais 2600 participantes estão reunidos aqui em Chicago por 4 dias para essa Conferência feita por Líderes de Estudantes e Jovens para Líderes de Estudantes e Jovens. Na foto, vocês podem me ver sentada no sofá vermelho que é o símbolo dessa Conferência. Tudo é feito para que você não se sinta mais um numa Conferência, mas sim alguém sentado num sofá conversando com alguns desses líderes. E o mais incrível é que eles conseguem fazer com que você se sinta assim. Os palestrantes andam pelos mesmos corredores que nós, comem nos mesmos restaurantes e refeitórios improvisados e estão sempre disponíveis para um papo.

Acabo de participar de uma Pre Conference :  Secrets to a Sustainable Youth Ministry com Mark Devries e Jeff Dunn-Rankin. E só para dar um gostinho do que ouvi hoje, aqui vão duas anotações que fiz no meu caderninho. Não posso falar mais, pois o próprio título diz que são segredos:

  • Precisamos fazer de nossos voluntários, nossos parceiros de ministério, para termos um ministério bem sucedido.
  • Se você estiver liderando um Pequeno Grupo com 12 garotos que não entendem nada do que você diz e você suspeita que um deles quer matar você, continue. O seu Pequeno Grupo é muito parecido com o que Jesus tinha.

Tenho que correr, comer alguma coisa e me preparar para a abertura oficial em 2 horas. Acompanhe mais notícias da Conferência amanhã. E se você quiser fazer parte dessa experiência incrível (é meu terceiro ano), dê um up no seu inglês, poupe para o ano que vem e vamos nos encontrar no Kentucky em 2012!