Série: O Que Eles Tem Na Cabeça? Depressão e Suícidio

depressão Image courtesy of tuelekza at FreeDigitalPhotos.net

Imagem cortesia de tuelekza de FreeDigitalPhotos.net

A mídia tem alertado pais e responsáveis sobre o Jogo da Baleia Azul. E há alguns dias noticiou o que teria sido a primeira morte causada pelo jogo no Brasil. Há muitas coisas a serem esclarecidas sobre o assunto.

Primeiro, não há comprovação de que o jogo (Blue Whale Game) tenha causado mais de 130 mortes de adolescentes na Rússia. O que realmente se tem de concreto é o suicídio de 3 adolescentes russas e o primeiro suicídio ocorreu em 2015. Segundo, infelizmente houve o suicídio de um adolescente de 13 anos em Nova Iguaçu, mas não há nada que ligue o trágico fato ao jogo. O adolescente enfrentava uma grave depressão.

O que sabemos de concreto é que a depressão e o suicídio entre adolescentes estão aumentando no Brasil e no mundo. No Brasil, de 2002 a 2012 houve um crescimento de 40% da taxa de suicídio entre crianças e pré-adolescentes com idade entre 10 e 14 anos. Na faixa etária de 15 a 19 anos, o aumento foi de 33,5%. A causa principal do suicídio entre os adolescentes é a depressão, que deve ser identificada e tratada. Segundo Dr. Daniel Siegel, o aumento da intensidade emocional na adolescência pode levar à impulsividade, à depressão e reações extremas como o suicídio. Dr. Siegel também alerta que a impulsividade pode transformar a busca por sensações em ação sem levar em conta as consequências.

Outro fato concreto é a tremenda popularidade que a série “13 Reasons Why” da Netflix13 reasons why está alcançando entre adolescentes e jovens. A série aborda assuntos importantes como bullying, assédio, estupro, falta de diálogo com a família, depressão e suicídio na adolescência. Mas depois de assistir alguns capítulos e a terrível cena do suicídio da personagem principal comecei a pensar sobre os danos que algumas cenas podem causar nos cérebros em desenvolvimento dos adolescentes.

A intenção da série é alertar sobre o suicídio na adolescência e recomendo que pais, professores e líderes de adolescentes assistam. Talvez os autor e produtores não tenham se preocupado com o fato do cérebro adolescente ser tão impressionável. A atenção que Hanna recebe após o suicídio e o planejamento do suicídio passo a passo acabam conferindo certo glamour ao suicídio. A adolescência é uma fase de muita vulnerabilidade e há o risco de adolescentes se identificarem de forma negativa com a personagem principal. Os assuntos tratados na série devem ser discutidos e acompanhados por pais e responsáveis.

Que nossos adolescentes possam lembrar-se do que diz o salmista:

Estavam famintos e sedentos; suas vidas iam-se esvaindo.
Na sua aflição, clamaram ao Senhor, e ele os livrou da tribulação em que se encontravam e os conduziu por caminho seguro a uma cidade habitada.
Salmos 107:5-7

Anúncios

Crepúsculo, a Saga Acabou! E…

A Saga Twilight Amanhecer Parte 2

Sim, finalmente a Saga Crepúsculo chegou ao final com “Amanhecer – Parte 2”. Não, eu não sou fã da série e não estava esperando desesperadamente pelo último filme. Então você pode se perguntar: “Por que você foi assistir?” Primeiro porque sei que é algo que faz parte da cultura pré-adolescente e adolescente e por isso assisti a todos os filmes da série…( O que não fazemos pelo ministério, não é?) E segundo porque finalmente o filme passou no clube do qual sou sócia e não precisava pagar o ingresso.

Mas a grande pergunta que sempre me fiz ao longo de toda a série e também durante esse último filme (além da clássica pergunta: O que estou fazendo aqui assistindo esse filme?) é: O que nessa estória atrai tanto os adolescentes, principalmente as garotas?

Ao contrário de muitos líderes cristãos, não creio que o ocultismo ou o vampirismo sejam a grande atração para os adolescentes e nem que esses fatores possam motivá-los a buscar essas coisas. Entretanto tenho várias outras hipóteses sobre o que torna a Saga tão sedutora:

  1. Romance de um amor impossível ou proibido.  Um vampiro, ser imortal e
    Bella e Edward

    Bella e Edward

    inimigo dos humanos que se apaixona por uma inocente garota humana e é correspondido, mas ambos sabem da impossibilidade desse amor se concretizar. Quer algo mais atraente do que isso para uma adolescente? E a estória vai nos mostrar que eles vão lutar contra tudo e todos, muitas vezes arriscando a própria vida ou existência para ficarem juntos. E até quando finalmente conseguem ficar juntos e ter uma filha, ainda correm riscos e tem que lutar até os últimos minutos.

  2. Beleza, riqueza e poder.  Os vampiros são belos (há controvérsias), jovens, temvampiros-3 um físico perfeito, vestem-se com as melhores roupas, moram na melhor casa, dirigem os melhores carros, viajam e por aí vai a vida de luxo desses seres. São extremamente poderosos, com uma força descomunal, poderes especiais, não se cansam nunca e não trabalham!
  3. Violência. Todos os filmes apresentam cenas de luta e violência, com direito a várias cabeças decepadas e corpos em chamas nesse último filme.

O que mais um adolescente pode querer? E Bella é totalmente seduzida por tudo isso, ainda mais quando compara sua disfuncional família humana, que tem um pai trabalhador humilde, separado da sua mãe, que parece não estar nem um pouco preocupada com a filha, e que tem que criar sua filha sozinho. Enquanto na “família” de Edward, o vampiro, tudo parece ser perfeito, desde a harmonia entre os “pais” até a vida em comunidade da família. Além do apoio que a família vampira dá para o romance dos dois.

Então nesse último filme, Bella realiza seu grande sonho e se torna uma vampira, com super poderes, uma filha que cresce rapidamente e parece não dar trabalho nenhum, uma nova casa que é um verdadeiro sonho, um corpo perfeito, que não adoece, não se cansa, não tem fome e a perspectiva de viver eternamente ao lado de seu grande amor. Perfeito, mesmo que isso tenha lhe custado a própria vida! E é aí que os problemas com a Saga Crepúsculo começam:

  1. Atração pela morte. A própria Bella diz que sua existência humana terminou, mas Bella morrendoque ela nunca se sentiu tão viva assim. Nem a possibilidade de nunca mais ver seu pai, mãe ou amigos parece abalar a jovem. Tornar-se uma vampira através da morte lhe trouxe mais alegrias do que tristezas. Essa ideia absurda é terrivelmente perigosa quando exposta dessa maneira para um público adolescente.
  2. A  sua felicidade está totalmente na dependência do outro.  A vida toda da Bella gira em torno do Edward e sua realização e felicidade são totalmente dependentes dele. Ela abdica do relacionamento com seus pais, amigos, uma profissão e até da própria vida para ficar com ele. Sem exagerar, Edward é o deus da vida dela. Outra ideia muito perigosa para a mente dos adolescentes.
  3. Falta de um objetivo concreto de vida. Nenhum deles tem qualquer outro objetivo a não ser o de ficar juntos pela eternidade. Estudo? Trabalho? Ações sociais? Nada disso. Viver um grande amor impossível lhes basta. Numa época em que nossos adolescentes estão tão inseguros quanto às suas escolhas para o futuro, essa também é uma ideia nociva para eles.

Poderia desenvolver outros pensamentos além desse, como a questão da sexualidade, mas deixo isso para vocês. A Saga acabou, as ideias e pensamentos atraentes para nossos adolescentes ficarão e é com eles que temos que lidar. Como já escrevi em outros post, creio que Deus permite que esses movimentos aconteçam na cultura adolescente para nos dar a oportunidade de usá-los em favor do Evangelho, como Paulo fez em Atenas e com a culto aos inúmeros deuses dos gregos em Atos 17:16-34.

Aproveite a onda da Saga Crepúsculo e crie conversas sobre esses temas com seus adolescentes. A Internet oferece algumas sugestões, como essa crítica da Christianity Today ou esse artigo de Beth Felker Jones, autora do livro “Touched by a Vampire“, que oferece o download gratuito de um guia de discussão sobre a série.

Nossa missão é contribuir para que nossos adolescentes entendam em suas mentes e corações o que Paulo diz em Filipenses:

“Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas.” 
Filipenses 4:8 

“Jogos Vorazes” é a nova onda teen. E o que você sabe sobre isso?

Hoje tudo muda com tanta rapidez, que há até uma rádio brasileira que tem como frase tema “em 20 minutos tudo pode mudar”. Mas o mundo dos adolescentes e jovens muda ainda mais rápido com a chegada de novas ondas que se espalham em velocidade digital influenciam a cultura deles. E nós que temos que manter uma comunicação constante com eles precisamos estar atentos à todas essas ondas que se formam.

Então eu pergunto: o que você sabe sobre “Jogos Vorazes”, além dele ser o primeiro livro/filme da mais nova trilogia destinada ao público adolescente e jovem? Segundo a Revista Veja, os livros já estão entre os mais vendidos no Brasil e o filme entre os mais assistidos. O elenco do filme foi capa de diversas revistas destinadas ao público adolescentes, entre elas a Revista Capricho.

Se você ainda não assitiu o filme, assista e você vai se surpreender. “Jogos Vorazes” não é apenas um filme violento de adolescentes matando adolescentes, como estão dizendo por aí, embora isso de fato aconteça. Eu assisti o filme pouco dias após a estréia e confesso que não tirei os olhos da tela. Tudo se passa nas ruínas de um lugar antes conhecido como América do Norte, está a nação de Panem, uma exuberante Capital rodeada de outros doze distritos. A Capital é dura e cruel, e mantém os distritos obedientes forçando-os a mandar um garoto e uma garota entre doze e dezoito anos para participar de seus Jogos Vorazes anuais, uma luta até a morte exibida na TV.

Katniss Everdeen , de dezesseis anos, vive sozinha com sua mãe e sua irmã mais nova, e vê os Jogos como sua sentença de morte quando ela se oferece para ir no lugar de sua irmã. Mas Katniss já estivera perto da morte antes – e sobreviver, para ela, é instintivo. Sem querer, ela se torna uma das favoritas a vencer. Mas se ela quiser ganhar, terá de fazer escolhas que colocam sobrevivência contra humanidade e vida contra amor.

Esse resumo e outros fatos importantes sobre Jogos Vorazes você encontra no site Jogos Vorazes BR . Mas enquanto você não vai ao cinema, assista aqui o trailer oficial do filme:

Poderíamos escrever muitas páginas sobre o filme, mas vamos resumir alguns pontos que considero importante e que podem ser interessantes para discussão com os adolescentes:

  • O filme critica a grande diferença entre classe sociais, a discriminação, a miséria, a fome e o governo totalitário. Isso fica bem claro, principalmente quando vemos as condições em que as pessoas vivem nos distritos 12, de Katniss e Peeta e 11 de Rue em comparação com a Capital e o distrito 1.
  • Como os Jogos são uma espécie de Reality Show, Suzanne Collins nos mostra que os realities são manipulados para cativar a audiência, como no caso (não leia se você ainda não assistiu o filme) do romance forjado entre Katniss e Peeta ou até da mudança de regras do jogo na última hora.
  • Katniss representa tudo o que os adolescentes querem ser. Ela também tem a idade deles, é forte, poderosa, cheia de esperança, idealista e desafiadora. Ela está em busca de relacionamentos e amor e quer acabar com a opressão e a injustiça. É isso que faz com que os adolescentes se identifiquem tanto com ela, como diz Walt Mueller.
  • Embora o filme não seja apenas um filme de adolescentes matando adolescentes, o fato de os adolescentes terem que matar num jogo é muito violento, pelo menos do meu ponto de vista. Entretanto todos os jovens e adolescentes com quem conversei não encontraram problema nenhum nisso. O que nos leva a pensar: Será que os nossos adolescentes e jovens estão passando ou já passaram por um processo de dessensibilização à violência?
  • E finalmente, o filme conta uma estória de esperança e redenção que atrai os adolescentes. Isso nos lembra que a história de Deus conosco também é uma história de esperança e redenção que pode atrair nossos adolescentes. Por isso é muito importante a maneira como vamos apresentar essa incrível história a eles. Mas eles precisam, procuram por uma história assim, que lhes dê esperança e sentido às suas vidas.

Termino esse post dizendo a vocês que não vejo a hora de ler a trilogia. Comprei os livros que foram imediatamente confiscados pela minha filha de 25 anos que está devorando o primeiro livro da série. Mas sou a próxima da fila.

Se você tem algum comentário sobre o filme, ou gostou desse post, deixe sua opinião aqui.

Crepúsculo: E Viveram (Morreram?) Felizes para Sempre… Ainda não….

Cena do casamento de Bella e Edward

A última parte da Saga Crepúsculo, não é na realidade a última. Ela é apenas a primeira parte da última parte, o que significa, que teremos pela frente pelo menos a parte 2 do Amanhecer. Isso se os produtores não derem uma esticadinha e fizerem a parte 3… Que confesso, seria para mim “O Martírio”.

O começo do meu comentário já dá uma pequena idéia das minhas impressões sobre o novo filme da Saga. Esse é, na minha opinião, o pior dos três filmes lançados até agora e pode ser resumido em: Bella e Edward se casam, Bella e Edward partem para sua lua de mel e consumam o casamento, Bella engravida, a gravidez coloca a vida de Bella em risco e reascende as desavenças entre os lobisomens e os vampiros, mas reaproxima Bella e Jacob. O bebê de Bella nasce, mas Bella não resiste, Jacob tem um “imprint” com a bebê Renesmee e Carlisle aparece no final para transformar Bella.

A questão do sobrenatural, dos vampiros e lobisomens está presente em todo o filme e mais uma vez exerce grande atração sobre o público adolescente, como aconteceu com os outros filmes. As cenas de luta nesse filme são mais violentas e rápidas o que não deixa de ser uma grande jogada para atrair o público masculino, além é claro da eterna competição entre Jacob e Edward.

Mas o ponto alto de Amanhecer está na tão esperada primeira relação sexual de Edward e Bella e que só acontece depois do casamento. Os adolescentes vão usar isso para nos dizer que o filme traz “valores cristãos”, mas Edward só faz isso porque é um jovem de 117 anos e no seu tempo, as garotas se casavam virgens, e não por uma convicção cristã. Além disso, é impossível não notar o semblante de Bella, durante todo o tempo que antecede o casamento, no casamento e na viagem de lua de mel, antes da primeira noite do casal. Ela mais parece uma condenada à morte em seu caminho para a forca ou para o paredão de fuzilamento.

Bella vê o quarto destruido após a primeira noite de amor do novo casal.

Um dos grandes problemas do filme está justamente na forma em que o sexo é colocado no contexto do casamento. O sexo é a motivação principal para o casamento dos dois e sabemos que apesar de ser muito importante no casamento, sexo não é tudo. Há muito mais numa relação de casal do que o sexo. Mas o filme parece mostrar que a festa, o vestido deslumbrante, a lua de mel paradisíaca e o sexo “do outro mundo” são o que mais  importa. Bella só dá um sorriso quando acorda depois da primeira noite de amor do casal e vê o quarto todo destruído. Ao assistir a cena, pensei no efeito que isso pode ter na cabecinha de nossos adolescentes. Sexo entre marido e mulher tem a ver com amor e carinho e não com performance.

E quando depois de alguns dias Bella descobre que está grávida, ela se surpreende com a reação de Edward que chama o bebê de “essa coisa” e imediatamente prepara a volta deles para casa para que Carlisle dê um jeito de se livrar daquela “coisa”. Esse seria o ponto do filme, que com muita boa vontade, poderíamos iniciar um debate sobre aborto com nossos adolescentes. Os vampiros, Bella e Jacob discutem se aquela nova criatura é realmente um ser vivente, é uma coisa, é um feto ou um bebê. Mas Bella é irredutível e se recusa a se submeter ao aborto, mesmo arriscando a própria vida.

Todd Perage, um americano pastor de adolescentes, sugere uma discussão sobre aborto à partir do filme no site The Source:

Discussão sobre o Filme:

Pergunta: Qual é a maior questão que o filme levanta?
Resposta: É a questão do aborto, principalmente quando eles discutem sobre como chamar o fruto da gestação: se de feto, bebê ou coisa.

P: Como você se sentiu quando Bella e Edward estavam conversando sobre se livrar do bebê? 
R: (Deixe que eles se expressem).

P: Como um cristão sério deve reagir sobre essa questão do aborto? Peça que eles leiam Salmos 139:13-16
R:Explore questões como: o que a passagem fala sobre crianças que ainda não nasceram; as pessoas tem ou não o direito de escolha sobre a vida dessas crianças.

Veja mais informações sobre a série no livro A Sedução do Crepúsculo e no artigo Os Perigos e As Mentiras da Saga Crepúsculo. 

Só nos resta aguardar a Parte 2 e ver o inusitado romance do lobisomem Jacob com a Vampira/humana Renesmee, e o confronto final dos Volturi com os Cullen! Quando parecia que não faltava mais nada, Stephanie Meyer, a autora da série, nos surpreende com coisas cada vez mais nonsense!

Cinema, pipoca e o papo vai rolar 2

O mês está quase acabando e é hora de dar mais dicas de filmes para líderes e pais de adolescentes (garotada na faixa de 11 à 17 anos). Mais uma vez a idéia é que esses filmes possam ser assitidos pelos adolescentes sozinhos ou junto com suas famílias e que sejam um ponto de partida para um papo informal sobre questões importantes na vida de um adolescente cristão. Hoje vou falar de dois filmes bem diferentes, mas que vão agradar a todos.

O FAZENDEIRO DE DEUS (FAITH LIKE POTATOES)– Concordo que o título do filme em português não é muito animador e chega a ser piegas, além de não ter nada a ver com o título original em inglês. Mas garanto que vocês não vão se arrepender de assistir esse filme emocionante, baseado numa estória real. Um fazendeiro, Angus Buchan, filho de escocês, nascido na Zâmbia muda-se para a África do Sul com a família, sua esposa Jill e três filhos pequenos. Ele deixa para trás uma fazenda que formou com as próprias mãos, uma casa confortável e leva com ele apenas algum dinheiro, um trator e algumas poucas coisas que cabem no seu caminhão.

Na África do Sul terá que recomeçar sua vida do nada e com Jill grávida do quarto filho. Vivendo num trailer e trabalhando duro noite e dia em suas terras, Angus chega à beira de um ataque de nervos. Depois de beber com amigos e até tomar calmantes sem resultado, ele acaba aceitando contrariado o convite para ir à uma pequena igreja metodista na cidade e se rende diante de Deus entregando sua vida à Jesus. A vida de Angus continua difícil e dura como antes, mas ele passa a enfrentar as dificuldades e perdas com a fé em Jesus. Ele descobre o dom de evangelizar que Deus lhe deu e sua vida de fé inabalável causa um grande impacto na vida das pessoas ao seu redor até que… Bem agora você vai ter que assistir para saber como isso acaba, pois não vou contar o fim do filme, não é? Ah, e você precisa descobrir o que as batatas e a fé tem em comum!

O DVD também traz um documentário com o verdadeiro Angus e toda a estória da produção do filme, que vale à pena assistir.

 

A ÚLTIMA MÚSICA (THE LAST SONG) – A estória se passa numa pequena cidade praiana do sul dos EUA, onde um pai separado (Greg Kinnear) tem a chance de passar o verão com sua filha adolescente Ronnie (Miley Cyrus) e seu filho mais novo, Jonah (Bobby Coleman), que vivem em Nova York. Mas Ronnie, ainda machucada pelo divórcio dos pais e revoltada por ter que deixar Nova York no verão, tem atitudes rebeldes e agressivas com o pai. Ele tenta se reaproximar dela por meio da única coisa que eles têm em comum − a música. O filme dá grande ênfase aos valores da família, amizade e amor e mostra o quanto o perdão é importante para que esses relacionamentos se fortaleçam e nos ajudem a superar crises e dificuldades (Ef 4:32). As garotas, principalmente, não vão se decepcionar com o clima de romance entre Ronnie e Will (Liam Hemsworth) e com  a preocupação ecológica dos namoradinhos e de Jonah que tentam  proteger os ovos de tartarugas marinhas na frente da casa do pai dela. Não vou contar o final, mas a galera mais sensível pode preparar os lencinhos para as últimas emoções.

Bom filme para todos e aguardem mais dicas de filmes em Abril!

Cinema, pipoca e o papo vai rolar

Nessa seção do blog quero dar dicas de filmes para líderes e pais de adolescentes (garotada na faixa de 11 à 17 anos) que possam além de diversão, gerar bons papos, reflexões e serem analisados de um ponto de vista cristão. Também vou postar algumas críticas ou comentários sobre filmes atuais para essas faixas etárias.

Vou começar com dois filmes muito legais feitos para essa moçada e que no Brasil não foram lançados nos cinemas e sairam direto em DVD.

DIÁRIO DE UM BANANA (Diary of a Wimpy Kid) – Essa é uma dica de filme para os pré-adolescentes. Apesar da tradução pouco feliz do título, o trailer do filme com certeza vai atrair a galera dessa faixa etária que passa por essa fase turbulenta entre a infância e adolescência e tem que lidar com os mesmos tipos de problemas que o Greg lida, principalmente na escola. O filme vai render boas risadas e pode dar início à conversas sobre amizade, lealdade e fazer escolhas certas.

A MENTIRA(Easy A) – Essa é uma dica de filme para os adolescentes. Olive, uma adolescente, mente para a melhor amiga que não é mais virgem, apenas para se tornar mais popular entre as garotas. Mas a mentira toma proporções que ela jamais poderia imaginar. Muito pesado para você? Sim, o tema é da pesada, mas bem próximo da realidade. Esse filme tratar de temas importantes como mentira, relacionamento com os pais, bullying, sexualidade na adolescência, homossexualidade e hipocrisia dos cristãos, mas muitos sites cristãos americanos de críticas sobre fimes não recomendam que adolescentes cristãos assistam ao filme.
Minha teoria é de que, se vivemos num mundo saturado de limões podemos e devemos fazer uma limonada. Em outros termos, vamos aproveitar os elementos ruins espalhados na cultura e usá-los a nosso favor para mostrar os valores em que cremos. Pois quer queiramos ou não, é nesse mundo que nossos adolescentes vivem e essa é uma excelente oportunidade para pegarmos a onda da cultura e aproveitar para dizer o que a Bíblia fala sobre isso. Não podemos fechar os olhos para essa cruel realidade, mas precisamos ajudá-los a viver como cristãos nesse mundo. E nada melhor do que um filme, uma pipoca e um bom papo para isso.  Mas a decisão final é sua, então meu conselho é: assista ao filme antes e decida se vale à pena assistir com seu grupo de adolescentes ou com seus filhos.

E bom filme para todos.