Série: O Que Eles Tem na Cabeça? Sexualidade e Identidade

Beijo namoro

Imagem cortesia de stockimages em FreeDigitalPhotos.net

Por razões que vão desde a alimentação até o contexto sociocultural, é fato que crianças estão amadurecendo sexualmente cada vez mais cedo. Isso pode ser observado principalmente nas meninas e também sabemos que o cérebro não está madurecendo com a mesma rapidez. Pelo contrário, o cérebro está demorando cada vez mais para passar por esse processo do desenvolvimento.

É por isso que o envolvimento físico e sexual precoce pode ser muito bom e prazeroso para o corpo, mas muito ruim para cabeça. Em seu livro “Cérebro Adolescente: o Grande Potencial, a Coragem e a Criatividade da Mente dos 12 aos 24 Anos”, o Dr. Daniel Siegel faz um alerta aos adolescentes quando diz que se envolver sexualmente fora do contexto de uma relação confiável pode ter complicações consideráveis. Ele explica que relações sexuais provocam a secreção de oxitocina, um hormônio que intensifica os sentimentos.

Diante disso podemos entender porque garotos e garotas lidam tão mal quando esses relacionamentos precoces se intensificam ou acabam. Nos garotos isso pode intensificar o ciúme e agressão enquanto que nas garotas intensifica o apego e a obsessão romântica. Não é por acaso que observamos desequilíbrios emocionais como o aumento de reações violentas em garotos e depressão em garotas.

Há ainda outro fator importante. Os adolescentes estão construindo sua identidade pessoal. Na realidade esse é um dos processos principais dessa fase. Eles precisam descobrir quem são e isso vai afetar todas as áreas de suas vidas. Quando eles se envolvem intensamente num relacionamento romântico e sexual, eles podem deixar de se desenvolver positivamente e individualmente para manter esse relacionamento. Uma ruptura do relacionamento pode trazer consequências trágicas com comportamentos de risco como envolvimento com álcool, drogas, depressão e até suicídio.

Então o que Jesus disse para as multidões na Judéia faz sentido para nós(Mateus 19:4-6):

“Vocês não leram que, no princípio, o Criador ‘os fez homem e mulher’e disse: ‘Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne’?Assim, eles já não são dois, mas sim uma só carne. Portanto, o que Deus uniu, ninguém o separe”.

Essa fala de Jesus nos mostra claramente que a união no sexo não apenas física. Ela tem implicações sentimentais, mentais e espirituais!

O Dr. Daniel Siegel é um cientista não religioso e suas pesquisas acabam comprovando o que a Escritura já dizia há milhares de anos atrás. Ele diz que uma adolescente de quase 20 anos deu uma sugestão para esse capítulo do seu livro: “Diga ao seu leitor para não se comprometer muito cedo. Se for para dar certo, dará.”

Aquele que tem ouvidos, ouça! Mateus 11:15

Como ter um ministério de adolescentes com profundidade e base bíblica num mundo superficial e distante de Deus?

curso blogCreio que essa pergunta está constantemente na cabeça de todos que trabalham com os adolescentes e pré-adolescentes na igreja.

A resposta não é simples e por isso estaremos conversando sobre isso semana que vem, nos dias 22, 23 e 24 de abril num curso no Seminário Teológico Servo de Cristo em São Paulo.

Nesses 3 dias iremos falar sobre:

  • o contexto e cultura atuais para os adolescentes.
  • o momento de vida, da mente e dos relacionamentos do adolescente.
  • exploração e busca de novos métodos de ensino bíblico e discipulado para adolescentes.
  • a importância de líderes adultos para os adolescentes.
  • novas propostas para o ministério de adolescentes.

Não perca essa oportunidade!

Mais informações e inscrições:

(11) 5083-3131

secretaria@servodecristo.org.br

www.servodecristo.org.br

Jesus Tatuador

Clique aqui para assistir ao vídeo.

Esse vídeo é parte de uma campanha de evangelização realizada em Lubbock, Texas. No vídeo, Jesus é representado por um tatuador que transforma rótulos negativos, que as pessoas carregam em forma de tatuagens, em novos rótulos positivos. Ele transforma rótulos como “Excluído” em “Aceito” e “Viciada” em “Liberta”. Na cena final, o personagem que representa Jesus aparece com todos os rótulos pesados e negativos tatuados em seu próprio corpo.

Outdoor da Campanha- Imagem da ABC News

Outdoor da Campanha- Imagem da ABC News

O grupo chamado Jesus Tattoo também colocou 59 outdoors pela cidade e recebeu apoio de alguns grupos cristãos e severas críticas de outros cristãos. Você pode ler as reportagens em The Christian Post, noHuffington Post e em português no Gospel Prime.

Polêmicas à parte, quero contar para vocês minha experiência pessoal com o vídeo. Depois de assitir ao vídeo e ler sobre ele, resolvi utilizá-lo num estudo de um Pequeno Grupo de garotas adolescentes. Sem dizer nada sobre o vídeo, deixei que as garotas (entre 13 e 18 anos) assitissem e a reação delas foi incrível. Algumas chegaram a se emocionar e nenhuma delas se chocou com as imagens. Elas viram no vídeo, uma oportunidade de falar para outros adolescentes e jovens sobre a transformação que temos em Jesus. A frase de Ashleigh Sawyer da organização Jesus Tattoo resume bem a mensagem do vídeo: “Jesus nos ama incondicionalmente e não se importa com as marcas ou pesos que carregamos.”

Preparei um estudo sobre o vídeo para o meu Pequeno Grupo e vocês podem fazer o download e utilizá-lo com seus adolescentes.

Jesus Tatuador

Aproveite esse espaço para colocar a sua opinião sobre o vídeo ou sua experiência pessoal com ele.

Deus tornou pecado por nós aquele que não tinha pecado, para que nele nos tornássemos justiça de Deus.
2 Coríntios 5:21

O Desafio de Ensinar a Bíblia para Adolescentes

Banner 2013_09_adolescentes_emkt (2)

No Ministério de Adolescentes temos inúmeras tarefas que vão desde arrumar a sala para criar uma identidade com eles até o desafio de ensinar a Bíblia para essa garotada.

Quando comecei no Ministério de Adolescentes há alguns anos atrás, minhas primeiras noites de sono perdido eram sempre sobre: O que vou ensinar? Como vou conseguir a atenção dos adolescentes? Como fazer para que a mensagem bíblica os alcance?. Sempre gostei de planejamento e quase entrava em pânico para montar um currículo de Ensino Bíblico fiel às Escrituras, interessante e relevante para os adolescentes e que tivesse uma sequência.

Sei que essa é a luta de muitos de vocês também e por isso, em conjunto com o Seminário Teológico Servo de Cristo, pensei nesse curso. Não teremos todas as nossas dúvidas resolvidas, mas caminharemos juntos por essa trilha nessas 3 noites e avançaremos em vários dos aspectos que necessitamos nessa área do ministério.

Espero vocês lá.

Escolhas de Hoje que Determinam o Amanhã

Ontem, domingo, pela manhã fiz algo que é muito raro e decidir assistir ao Esporte Espetacular com meu marido. E tive uma grata surpresa!

Ronaldo acompanha a saída de Carlos (Foto: Reprodução / TV Globo)

Ronaldo acompanha a saída de Carlos           (Foto: Reprodução / TV Globo)

O programa mostrou uma matéria emocionante sobre dois amigos que costumavam jogar futebol juntos quando jovens e que se reencontraram em uma situação inusitada 20 anos depois. Eles até chegaram a jogar em diversos times de segunda divisão no Brasil e no exterior. Mas os dois escolheram caminhos tão diferentes na juventude que um acabou se tornado juiz de direito e o outro um presidiário por tráfico de drogas. Para ler mais sobre isso ou assistir a matéria na íntegra clique aqui.

Logo pensei  nos nossos adolescentes e jovens e nas escolhas que eles tem fazer hoje e que podem decidir o futuro deles. E há alguns fatores a serem considerados aqui. Vivemos num mundo onde o que importa é viver o momento e a satisfação momentânea sem se importar com as consequências futuras. E sabemos que para tomar  decisões sábias precisamos levar em consideração as possíveis conseqüências de diferentes escolhas.

Um outro aspecto importante é que recentemente as pesquisas sobre o desenvolvimento cognitivo de adolescentes e jovens tem avançado muito principalmente em dua áreas: desenvolvimento do pensamento crítico e a tomada de decisões. Essas duas habilidades são essenciais para que eles possam fazer escolhas sábias. Mas além de adolescentes e jovens  estarem atingindo seu potencial de pensamento crítico mais tarde, todo o nosso sistema educacional e as “facilidades” do mundo tecnológico não permitem que eles desenvolvam completamente esse potencial. Soma-se a isso o fato de que fatores psicossociais como emoções, pressão do grupo e mídia exercem mais influência sobre eles, na hora de tomar decisões, do que sobre os adultos.

Foto: Freedigitalphotos.net

Foto: Freedigitalphotos.net

Novas pesquisas também mostram que o desenvolvimento cerebral hoje é mais lento do que no passado e embora a cognição vá se desenvolvendo ao longo da adolescência e juventude, ela só estará completamente madura na idade adulta. Portanto, as habilidades em áreas como tomada de decisões e pensamento sobre as consequências de seus atos ainda não estão completamente desenvolvidas. Isso explica a facilidade que adolescentes e jovens tem para se envolver em situações de risco e para tomar decisões com consequências desastrosas.

Então qual é a saída para isso? Já que não podemos interferir no desenvolvimento cerebral, podemos atuar nos fatores psicossociais. Pais, líderes, professores e a própria igreja podem ser uma boa influência sobre eles. Para isso, pais tem que estar cada vez mais próximos de seus filhos e desenvolver relacionamentos de amor e confiança com eles e a igreja deve ser parceira dos pais nessa tarefa. A Bíblia está repleta de histórias de pessoas que tomaram decisões erradas, como Davi e Sansão, e sofreram as graves consequências dessas decisões. Nossos adolescentes e jovens precisam conhecer essas histórias e saber que elas continuam se repetindo hoje, como na história do ex-jogador de futebol e do juiz que a reportagem do Esporte Espetacular mostrou.

Foto: Freedigitalphotos.net

Foto: Freedigitalphotos.net

“Há caminho que parece reto ao homem, mas no final conduz à morte.”
Provérbios 16:25

Que Deus nos dê a sabedoria necessária para ajudar nossos adolescentes e jovens a tomarem decisões que irão determinar o futuro deles.

Falar de Ética Cristã para Adolescentes Hoje. Como?

Vivemos num mundo pós-moderno ou pós-cristão, como alguns já estão dizendo, onde tudo é relativo e praticamente não há absolutos. Cada um tem a sua verdade e muitas vezes dizer que há apenas uma verdade pode ser considerado como uma atitude de arrogância e intolerância.

Quando não há absolutos e tudo pode ser verdade, os adolescentes vivem num constante dilema moral e ético e a maior parte do tempo, pois não sabem mais o que é certo ou o que é errado. Podemos comprovar isso no comportamento dos jovens cristãos e não cristãos. Há uma pesquisa do IBOPE de 2006 feita com jovens fluminenses de 14 a 18 anos das classes A à E. 30% deles disseram que ser ético é ser tolo e correr o risco de ser passado para trás.

Quem cita essa pesquisa é Gilberto Dimenstein num artigo do jornal A Folha de São Paulo. Ele diz: “A crônica de mazelas acompanhadas da impunidade é um poderoso estímulo para o culto à malandragem, afinal é promovida por quem deveria dar o exemplo: os adultos e, mais do que isso, os adultos que estão no comando.” Você pode me questionar dizendo que tanto o artigo, quanto a pesquisa são de 2006, mas você vai concordar que em termos de ética e honestidade no nosso país a coisa só tem piorado. Ou não?

E é nesse meio, nessa cultura onde os malandros, os desonestos e mentirosos se dão bem que nossos adolescentes estão vivendo. Essa geração mais jovem está adotando uma visão do que é certo ou errado, centrada no homem ou nos costumes vigentes e não em Deus. Na verdade eles muitas vezes perdem a noção ou não conseguem mais distinguir o que é honesto e o que é desonesto. Se você ainda duvida, faça como eu e digite no Google as palavras adolescente e honestidade e terá a surpresa de encontrar uma notícia internacional sobre adolescentes noruegueses que devolveram ao dono uma grande quantia de dinheiro encontrado. Ser honesto hoje, dá manchete de jornal!

Então como vamos falar de Ética Cristã, de honestidade para essa galera, de maneira que isso realmente faça diferença nas vidas deles? A única forma de resgatar esse valor da honestidade para os nossos adolescentes é mostrar a eles o padrão estabelecido por Deus para a honestidade. Não é um padrão fácil de ser seguido no mundo de hoje, mas é um padrão que vale a pena ser seguido, mesmo que isto signifique ser considerado tolo ou ser passado para trás pelos outros.

Nosso grande desafio é fazer com que eles compreendam que mesmo vivendo num mundo com tantas outras “verdades” e onde o certo e o errado são relativos, eles podem crer que Deus já estabeleceu o que é certo e o que é errado e Deus não muda. Vejam esse texto de João 8:31-34

Disse Jesus aos judeus que haviam crido nele: “Se vocês permanecerem firmes na minha palavra, verdadeiramente serão meus discípulos.
E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará”.
Eles lhe responderam: “Somos descendentes de Abraão e nunca fomos escravos de ninguém. Como você pode dizer que seremos livres? “
Jesus respondeu: “Digo-lhes a verdade: Todo aquele que vive pecando é escravo do pecado. 

Nesse texto de João, Jesus nos diz que conheceremos a verdade se permanecermos firmes nele e que, ao contrário do que muitos pensam, a verdade de Deus nos liberta. Ela nos liberta do pecado. A verdade de Deus liberta nossos adolescentes deste dilema contemporâneo de nunca saber o que é certo ou errado.

Que Deus nos dê sabedoria para ensinar nossos adolescentes a decidir pelo certo e pelo que Deus tem de bom para nós. 

O Que Estamos Ensinando Para os Adolescentes na Igreja?

Você já se fez essa pergunta? Talvez você se faça essa pergunta toda semana e ainda não conseguiu fazer um planejamento de Ensino para seus adolescentes. Ou talvez você esteja tentando ensinar a Bíblia toda de formas criativas e inovadoras e tem lutado com isso. Minha intenção nesse post não é responder de forma exaustiva essa perguntar, mas ajudar todos nós que trabalhamos com pré-adolescentes e adolescentes a pensar sobre isso.

Ano passado, tive o privilégio de ter aulas e conhecer o trabalho do Professor Scott Cormode, PhD pela Yale University, Professor do Fuller Theological Seminary e pastor presbiteriano. E Scott fala muito sobre isso porque nos ajuda a pensar sobre como ajudar pessoas que precisam fazer mudanças de vidas a mudarem, levando em consideração que essas pessoas não querem mudar. Também fala muito de como ajudar as pessoas as fazerem uma interpretação teológica e espiritual das coisas que mais importam em suas vidas. Não sei o que vocês pensam, mas acho que todos nós nos enquadramos de uma maneira ou outra nessa descrição, entretanto os adolescentes se encaixam perfeitamente nisso.

Então eu pergunto:

  • Será que estamos falando com os adolescentes na igreja sobre as coisas que são mais importantes nas vidas deles? 
  • Estamos ajudando os adolescentes a fazerem uma interpretação teológica e espiritual do que mais importa em suas vidas? Estamos fazendo essa ligação da Bíblia com suas vidas para que eles possam encontrar a verdeira esperança na Palavra de Deus?
  • Ou será que temos nossa própria agenda para cumprir e que é baseada no que pensamos ser mais importante eles saberem, mas que não tem ligação alguma com suas vidas?

Scott nos lembrou que o trabalho de Jesus foi e é nos reconciliar com Deus e como seus seguidores esse deveria ser o nosso trabalho junto aos adolescentes. Os adolescentes cristãos de hoje vivem num mundo extremamente hostil ao cristianismo e além do turbilhão de emoções, das desestruturação familiar que muitos deles passam, ainda tem que lidar com uma realidade que está em constante mudança. Eles podem se sentir abandonados e feridos pelos adultos e por Deus. Eles sabem que se eles forem realmente honestos sobre seus sentimentos, muitos adultos dentro da igreja não os compreenderão e nem os acolherão. E quase que instantaneamente, começam a pensar a mesma coisa sobre Deus, ou seja, Deus não compreenderá meus sentimentos, irá me considerar um ingrato, um rebelde, um adolescente que só reclama.

É nossa função ensinar aos adolescentes que Deus vai acolher e compreender a honestidade deles, como acolheu e compreendeu e acolheu a honestidade do salmista nos diversos Salmos de lamento. Só para exemplificar podemos mostrar aos adolescentes os Salmo 22 e Salmo 88.

Não vou dar a famosa “receita de bolo” e nem uma agenda pronta do que você deve ensinar aos adolescentes da sua igreja. Quero encorajar você a descobrir o que você deve ensinar para eles fazendo a sua lição de casa, que é:

  • Conheça o mundo, a cultura em que seus adolescentes vivem.
  • Conheça seus adolescentes. Conheça suas lutas, seus desafios, suas dificuldades, sempre mostrando para eles que Deus compreende e acolhe todos esse sentimentos.
  • À partir disso, crie a sua própria agenda de ensino, aquela que atenda as reais necessidades de seus adolescentes e que mostre à eles que a Bíblia faz sentido na vida deles no dia a dia.
  • Esteja atento para as mudanças que podem ocorrer nessas necessidades e aproveite cada oportunidade que surgir para ensiná-los através da Bíblia.

Lembre-se que acima de tudo, o que ensinamos para os adolescentes na igreja tem o objetivo de trazer transformação de vida e esperança.